Notizie, curiosita',aneddoti, e fantasie su New York – tagged "Metropolitana" – Minha Viagem a Nova York Google+

Autenticamente Nova York

O Carnaval de Nova York é realizado na primeira segunda-feira de Setembro. Feliz Labor Day! September 08 2016

Por Maria Grazia De Luca

deluca.marymary@gmail.com

Estamos no fim de semana que é comemorado o Labor Day (A festa do trabalho), a festa pelo dia do trabalho é celebrada pelos americanos na primeira segunda-feira de setembro desde 1882. Se o feriado comemorado dia Primeiro de Maio continua sendo para muitos de nós o ícone do dia dos trabalhadores, e a oportunidade de celebrar a dignidade do trabalho (também como uma forma especial de lembrar as muitas vítimas do trabalho por todo o mundo), aqui em Nova York entre os muitos eventos que acontecem nos dias de hoje, com certeza esse está incluído, ele é chamado por muitos de “the greatest show in the earth”, o New York City Caribbean Parade, conhecido como West Indian Day Parade.
 
Certamente esse é o dia mais esperado pela comunidade caribenha do Brooklyn, que também foi homenageada pelo artista de hip-hop Jay-Z em sua canção "Empire State of Mind" quando ele canta: “Three dice Cee-lee, Three card Monte, Labor Day Parade, rest in pace Bob Marley".

O ponto de encontro da West Indian Parade é o Museu do Brooklyn (200 Eastern Pkwy). A saída está marcada para 11 horas, e o desfile vai passar pelo bairro de Crown Hights em direção ao Grand Army Plaza, onde existe um programa de "Grand Finale" marcada para as seis horas. É claro que você pode escolher um ponto estratégico e assistir apenas um pedaço do desfile, procure se informar sobre as mudanças nos serviços de metrô e ônibus, por causa do grande número de pessoas na área do Brooklyn.

Ano passado resolvi fazer a experiência e participar do Carnaval Caribenho do Brooklyn, aceitei o convite de uma amiga para se juntar a ela e ao seu “boyfriend” jamaicano de assistir esse famoso desfile. Eu pensei que seria também uma oportunidade de ouro para mostrar a minha mãe, que tinha vindo me visitar em Nova York, um evento único, autêntico, além das ruas turísticas da Times Square. E eu não estava errada, o desfile superou as minhas expectativas.
 
A West Indian Parade é uma experiência difícil de descrever em palavras, é necessário experimentar pessoalmente, se deixando levar pela vitalidade irresistível dos povos do Caribe, que sabem como se divertir ao som de tambores e instrumentos musicais tradicionais.

Fui com a minha mãe no ápice do desfile, tocando salsa, calipso, reggae e soca, as mulheres e os homens geralmente bem fortes fisicamente, movimentam seus corpos com força e uma harmonia incrível - eles têm música no sangue - geralmente com vestidos muito coloridos, com grandes plumas que vibram no ar enquanto dançam como se não houvesse amanhã. Isso tudo nos faz lembrar de como é fácil ser feliz e de como devemos valorizar os momentos felizes da nossa vida.
 
No desfile podemos ver as bandeiras de países do Caribe, como Jamaica, Haiti, Trindade e Tobago, Barbados, etc… Eles compartilham o uso do Inglês e do crioulo no idioma. Eu não me lembro de ter visto bandeiras da Republica Dominicana e de Cuba. No final da rua há muita “Street food” caribenha, e muito hambúrguer picante!

A energia do Carnaval Caribenho é incrível, quase que intimidante. Três milhões de pessoas participam desta grande festa, com uma euforia explosiva no Crown Heights no Brooklyn. Eu nunca participei do carnaval brasileiro, no meu imaginário eu sempre cultivei esse evento como uma coisa  incrível, e acredito que com todas as devidas diferenças (com o nível de grandeza redimensionadas aqui em Nova York), os figurinos excêntricos, o desejo de dançar e, especialmente, a energia vibrante da West Indian Carnival do Brooklyn, lembra o que acontece no Rio todo mês de fevereiro.

Essa festa caribenha em Crown Heights de alguma forma começa a fechar o verão de Nova York. Se a energia do Carnaval Caribenho não lhe empolga muito, você pode optar por outros eventos organizados no Labor Day. Você pode optar por passar o dia inteiro em um dos muitos parques nova-iorquinos, o Central Park pode ser a primeira opção, mas também os menos frequentados que ficam ao longo do Rio Hudson (Brooklyn Bridge Park, no Brooklyn ou o Fort Tryon Park, em Uptown), a praia de Coney Island, em Nova York, que tem um parque de diversões a uma curta distância da praia também é um bom destino para os dias menos quentes de setembro (é menos lotado) quando comparado com agosto e julho. Em todos esse lugares é possível ver um lindo por do sol, com todas as cores do mês de Setembro.

O Washington Square Park, em Greenwich Village, por outro lado, pode ser um destino para quem gosta de artesanato, fotografia, esculturas e outras obras de artistas independentes, que na maioria dos casos são estudantes da Universidade de Nova York (NYU), que fica localizada nessa região.

Muitos nova-iorquinos estão fora da cidade no último fim de semana de verão, deixando os visitantes e amantes da Big Apple a chance de torná-la “nossa”, pelo menos por um dia, no Labor Day, que se despede simbolicamente do verão, e marca um novo período de preparação para o outono.


Você Sabia que no Metrô da Times Square Podemos Encontrar uma Obra de Roy Lichtenstein April 26 2016

por Mariagrazia De Luca

deluca.marymary@gmail.com

 

O metrô é um dos lugares que você não pode deixar de visitar em Nova York.

Vai parecer estranho, mas o metrô pode ser um destino muito útil em sua viagem, no metrô de Nova York, além de você ter contato com os personagens que povoam a cidade no seu dia a dia, ele também é considerado “um museu" underground da cidade. Há muitas obras de arte, esculturas, pinturas e murais de artistas famosos. A pressa às vezes não deixa você prestar atenção em tudo.

Você sabia, por exemplo, que na estação da Times Square existe um mural gigante feito por Roy Lichtenstein, um dos fundadores da Pop Art, junto com Andy Warhol? Eu mesmo só descobri isso recentemente, e olha que já estou morando em Nova York há mais de três anos.

Até mesmo o presidente da Casa Cinematográfica IndependenteTroma, Lloyd Kaufman, aconselhou os leitores do Minha Viagem a Nova York a pegar o metrô: é lá que você encontra os personagens excêntricos,  que são realmente nova-iorquinos.

 

https://www.ilmioviaggioanewyork.com/blogs/news/100412998-troma-building-la-casa-indipendente-piu-vecchia-damerica-labbiamo-visitata

 

Em apenas um vagão podemos concentrar o mundo todo: Latinos, afro-americanos, pessoas de vários países distantes (que muitas vezes você nem sabia que existia no mapa geográfico), turistas de todos os lugares do mundo, todos conhecendo a cidade e usando o meio mais conveniente e eficiente de transporte. A linha de Nova York parece ser realmente a mais extensa linha de metrô do mundo: 24 linhas, 469 estações, e milhões de pessoas todos os dias utilizando esse serviço.

Aqui estão três regras que você deve seguir para explorar Nova York de metrô:

Regra número um: devagar! Fique calmo para não ser infectado pelo ritmo acelerado dos nova-iorquinos.

Regra número dois:Olhe a sua volta! Repare em tudo ao seu redor. A Arte está em toda parte, às vezes bem na frente do seu nariz. Em vez de se concentrar na placa alertando que o trem vai chegar em 2 minutos, preste atenção ao seu redor, nas obras de arte de valor inestimável perto de você.

Regra número três: Baixe esse aplicativo móvel: Meridian, ele irá localizar as obras de arte mais próximas de você. Você também pode procurá-las, usando a escolha "por linhas" ou "pelo artista", e você também tem a opção de "tour".

 

O CARÁTER "UNDERGROUND" DO METRÔ DE NOVA YORK

Se você for uma pessoa curiosa no metrô de Nova York certamente não irá se cansar,vários artistas de rua se apresentam lá. Entre eles, um grupo de crianças dançando breakdanceque irá deixar você sem palavras com seus truques, piruetas e saltos duplos. Se você observar algumas crianças raspando a cabeça no chão em suas cambalhotas, não fique assustado: elas são profissionais treinadas.

Existem também guitarristas talentosos, e também violinistas, pianistas e saxofonistas... Que vão fazer você se emocionar com alguns covers dos Beatles e de outras bandas famosas, você também vai ver os tocadores de bongo que ficam em suas cadeiras dobráveis no meio do movimentohipnotizando todos ao seu redor com seus ritmos africanos.

Há pessoas esperando para tirarem sua “pausa do sono”,Se você reparar no número de pessoas dormindo no metro, vai se assustar! Podemos dizer que metades das pessoas estão dormindoe a outra metade está no telefone, pessoas mais velhas estão com o New York Times aberto (será que eles estão realmente lendo?), mas quase todos, estão ouvindo música com seus fones de ouvido.

Há também pessoas que dormem em algumas estações (e roncam!), Pois ali é o seu lar temporário, especialmente quando está frio lá fora, é um lugar quente e relativamente seguro. Há pessoas utilizando seu horário de almoço nas estações porque não a tempo de ir a um restaurante. Podemos ver também pessoas recitando poemas, lendo cartas, que proclama a vinda de Deus e aconselhando os viajantes: "Amor é seguir Jesus, Isso irá te assegurar um lugar no céu".

Uma poucos dias uma menina me deu um cartão, desses de marketing com o titulo, "aconselhamento": Eu não entendi muito bem, aconselhamento geral para qualquer tipo de problema?Era uma espécie de conselheira espiritual. Ela se apresentou com muita segurança e profissionalismo e eu aceitei seu cartão de visita. Se vou chamá-la? Nunca diga nunca! Mais cedo ou mais tarde eu posso precisar de um “aconselhamento espiritual” para sobreviver em Nova York.

Uma coisa interessante que devemos notar durante a "viagem" pelo metrô de Nova York é como ela muda a fisionomia das pessoas de acordo com a estação que ele para. Não só a aparência, status social, categoria de trabalho, mas até o humor dos passageiros. Se você passar pelas paradas ao redor de Wall Street, você terá boas chances de tropeçar em homens de terno e mulheres elegantes, embora estejam com tênis debaixo da saia, provavelmente correndo atrás de uma promoção em seus escritórios.

Nas paradas ao redor da Times Square turistas lotam o metrô. Perto da parada deBedford L, os passageiros parecem jovens e modernos (estamos em Williamsburg!) um ponto artísticos. Se você ficar no metrô 2, 5 ou 6 para o Bronx, você vai ver que pouco a pouco o vagão vai se esvaziando de turistas, os rostos das pessoas tornam-se mais melancólicos e cansados. São os verdadeiros nova-iorquinos que voltando para casa depois do trabalho.Eles demoram uma hora ou mais dentro do metrô para trabalhar no centro, onde o aluguel é muito alto e eles não conseguem pagar, e não têm outra escolha senão se deslocar para as áreas periféricas do Bronx ou Brooklyn. Isso mostra que também podemos ver pobreza e degradação no metrô de Nova York.

 

UM MUSEU UNDERGROUND: TIMES SQUARE

Os terminais mais cheios, onde convergem muitas linhas do metro (1, 2, 3, S, 7, Q, R, N e a passagem subterrânea para A, C, E), junto com o da Times Square é uma das áreas que mais são vistas superlotações, tente evitar essas linhas em horários de pico. No entanto, quando tiver passando por essas estações use um pouco do seu tempo para descobrir as obras de arte que estão escondidas dentro delas.

Aqui está uma mini tour que você pode seguir.

A entrada gigante de mármore na rua 42 com a 9th Avenue.

 

No metrô que liga PortAuthority a Times Square e feito por enormes paredesde mármores gigantes, são murais fazendo um mosaico na parede, o efeito visual é incrível. E o "mosaico de vidro” de "Lisa Dinhofer" (2003), localizado em frente ao metrô é o meu favorito: simula um chão quadriculado, onde há muito mármore disperso pela parede. É um bom jogo de perspectiva, para não mencionar as cores vibrantes usadas. Nem sei quantas vezes passei por aqui com pressa, e não reparei nessa bela obra de arte. Como isso é possível?

A linha que vai de PortAuthority no sentido Times Square tem algumas mensagens (subliminares?) para os viajantes.

O metrô da Times Square está sempre lotado, e em poucos olham para cima, onde estão escritas, muitas vezes, uma palavra ou uma pergunta, e elas sempre parecem querer dizer alguma coisa para aqueles que estão viajando.

OVERSLEPT, - SO TIRED, - IF LATE, -WHY BOTHER? -WHY THE PAIN? - JUST GO HOME. - DO IT AGAIN.

Parece um aviso (irônico) para se pensar na vida. Deixo-lhes a interpretação.

 

No final da passarela pertodas escadas que levam você até o andar de cima, pode-se encontrar outros mosaicos interessantes. E você sabe que muitos desses mosaicos foram feitos por Travisanutto uma família italiana de Veneto, será que foram encomendados? De qualquer modo há um pedaço da Itália no metrô da Times Square!

 The return of Spring.  The Onset of Winter.

 

O trabalho do "pintor realista" Jack Beal, um artista de Nova York, que morreu aos 82 anos, há alguns anos atrás,retrata algumas cenas da vida em Nova York. O frescor de "The Returnof Spring", que retrata a vida da alta sociedade, os operários quetrabalham duro (uma homenagem a construção do metrô?), e uma imagem do mercado. As cores das frutas são muito brilhantes, e os olhos das mulheres estão sempre em primeiro plano (basta você olhar!) colocandocerto temor na imagem.

 

No“The OnsetofWinter”e retratado a imagem da gravação de um filme: o protagonista parece ser uma mulher que entra no metrô, enquanto está nevando lá fora (é curioso pois ela esta de manga curta), enquanto varias pessoas estão reunidas observando tudo. O diretor-cameraman usa uma câmera de antiquado.

Murais de Jacob Lawrence: Tributo à "diversidade" de Nova York.

 

Caminhando em direção ao trem da linha N, Q, R, olhando para cima, no mezanino há um mural de Jacob Lawrence que evoca a cidade de New York visto de um trem elevado, podemos ver muitos caracteres e centenas de cores!

Caminhando em direção à shuttle... Está a cerâmica de Toby Buonaugurio

 

Mesmo se você andar correndo sem se importa com muita coisa, seus olhos vão ser surpreendidos por figuras tridimensionais brilhantes. A obra de arte, “flamboyant ceramics" de TobyBuonagurio, está inserida no nicho dos quadrados de vidro. Parece que o artista, originalmente do Bronx, projetou a obra de arte em torno do tema "vida de rua", a moda e as artes performativas. O meu favorito é a representação dos pés da mulher de estilo "burlesque", com sapatos altos e meias de cores diferentes. São35 cerâmicas e a instalação permanente é chamada de “Times Square Times: 35 Times”.

Roy Lichtenstein e a música ao vivo

 

No final do caminho, e perto do Shuttle que liga Times Square a Grand Central, está exposta uma das obras de arte "underground" mais importantes de Nova York. Eu ainda não acreditar que cheguei a passar centenas de vezes por esta estação da Times Square, e não reparei nessa obra de arte de Roy Lichtenstein, artista 100% dedicado a New York. O Times Square Mural (2002) ocupa um mezanino todo. À direita podemos ver um homem encapuzado, uma homenagem à famosa história em quadrinhos de Buck Rogers, à direita um vagão em estilo futurista, e no centro um grande número 42 (com asas!): A parada da Times Square!

Logo abaixo do mural de Roy Lichtenstein existe um espaço utilizado para os músicos, com bandas que variam a cada dia ou semana. E nesse dia ocorreu uma grande coincidência, estava fotografando para este artigo, quando ouvi: Maria! Era o Bryan, um amigo, e grande baixista. Ele estava lá com sua banda e me pediu para lhe fotografar. “Guys, YOU ARE SO ROCK’N’ROLL!”.O cantor melembrouMike Jagger do Rolling Stone, com seu jeito carismático. Excelente música ao vivo, e livre para se expressar como quiser! Tudo sob uma das maiores obras "underground" do metro de New York City!

 

Obrigado Bryan, obrigado Nova York!