Notizie, curiosita',aneddoti, e fantasie su New York – tagged "onde ir" – Minha Viagem a Nova York Google+

Autenticamente Nova York

O Dia em que Tudo Mudou September 29 2019

11 de setembro de 2001: uma data que mudou para sempre a história dos Estados Unidos da América (e além) e marcou profundamente toda a humanidade. Um evento terrível que é impossível esquecer e está impresso na memória de cada um de nós.

Quem de vocês se lembra perfeitamente de onde estava e o que estava fazendo quando aconteceu essa tragédia? Eu acredito em todos.

Este ano completou 18 anos dos ataques terroristas às duas torres gêmeas, dos ataques que causaram a morte de quase 3.000 pessoas e mais de 6.000 feridos. E, no entanto, a lembrança daquele dia terrível está mais viva do que nunca.

Desde então, Nova York ressurgiu, mas mantém viva a memória do 11 de setembro para homenagear aqueles que perderam a vida durante os ataques e espalhar uma mensagem de renascimento e esperança. E é exatamente por esse motivo os memoriais foram criados, como: o Memorial do 11 de setembro, o Museu do Memorial Nacional de 11 de setembro e o Museu do Tributo do 11 de setembro.

Durante sua viagem a Nova York, aconselho a não perder esses locais memoriais e, se tiver pouco tempo disponível, tente visitar pelo menos um.

São lugares imperdíveis que induzem profundas reflexões e nos permitem entender melhor o significado de 11 de setembro para os nova-iorquinos e para o mundo inteiro. Olhar mais de perto a tragédia é uma experiência que marca profundamente e que, sem dúvida, você sempre carregará dentro de você.

11 de setembro em Nova York

O aniversário dos ataques é um dos dias mais emocionantes de Nova York.

De manhã, o Museu e o Memorial do 11 de Setembro comemoram as vítimas dos ataques terroristas com a cerimônia anual de comemoração. Este último é organizado em homenagem às 2.983 pessoas (homens, mulheres e crianças) mortas nos ataques ao World Trade Center, ao Pentágono, a bordo do voo 93 da United Airlines e do ataque do WTC de 1993.

A cerimônia começa por volta das 8h40 e ocorre no 9/11 Memorial Plaza, ou no grande oásis verde com até 400 carvalhos brancos (símbolo de imortalidade e força) ocupando o espaço ao redor das duas piscinas, feitas onde as Torres Gêmeas já estiveram de pé.

Você pode acompanhar a cerimônia ao vivo na página do Facebook do National September 11 Memorial & Museum ou em 911memorial.org/live. Os organizadores convidam você a usar a hashtag # Honor911 nas mídias sociais para participar e compartilhar suas memórias.

Durante a cerimônia do memorial, o Museu e o Memorial do 11 de setembro serão acessíveis apenas a parentes das vítimas dos ataques de 2001 e 1993. Ambos serão, portanto, fechados ao público.

No entanto, a partir das 15:00 até meia-noite, o Memorial Plaza será aberto ao público para assistir ao famoso Tribute in Light.

 O Tributo das Luzes

O Tribute in Light é uma maravilhosa instalação artística comemorativa dos ataques de 11 de setembro, famosa em todo o mundo e com uma mensagem verdadeiramente significativa.

Pela primeira vez, foi proposto seis meses após os ataques terroristas, de 11 de março a 14 de abril de 2002, como uma instalação temporária. A partir de 2003, todos os anos, esta instalação é ativada desde o pôr do sol de 11 de setembro até o amanhecer de 12 de setembro e se tornou o símbolo do espírito indestrutível de Nova York.

Especificamente, o Tribute in Light consiste em dois feixes de luz que se projetam em direção ao céu e se elevam onde estavam as Torres Gêmeas. As duas colunas de luz são formadas por 88 projetores com lâmpadas de xenônio, cada uma com 7.000 watts, e colocadas em dois quadrados que reproduzem a forma e a posição das Torres Gêmeas.

O show é muito sugestivo e emocionante e é uma maneira muito especial de homenagear as vítimas. Basta pensar que os raios de luz são visíveis até 6 km no céu e até 100 km em torno de Manhattan! Certamente você o verá em uma foto.

Se você estiver em Nova York na noite de 11 de setembro, não poderá perder o Tribute in Light. Além disso, existem muitos pontos dos quais você pode admirar esta maravilhosa instalação. Em particular, a vista do Brooklyn Heights deixa você sem fôlego.

Uma curiosidade: inicialmente, em 1997, esta instalação artística foi projetada por Ezra Orion e deveria ter sido montada no topo das Torres Gêmeas para comemorar o dia 4 de julho. Mas a ideia foi abandonada porque era muito cara. Obviamente, após os ataques, essa verdadeira obra de arte adquiriu um significado completamente diferente.



Por fim, deixo um pequeno clipe em memória de 11 de setembro:


O que Fazer em Staten Island September 09 2019

Descobrir o distrito menos explorado pelos turistas em Nova York, é um passeio único, imperdível para quem deseja realmente entrar no estilo de vida Americano.

Localizada no sul da Big Apple, Staten Island é um bairro tipicamente residencial que tem muitas diferenças em relação aos outros distritos mais caóticos da cidade.

Com seus 265 quilômetros quadrados e uma população de cerca de 500.000 habitantes, é o distrito menos densamente povoado, portanto, o local perfeito para quem está em Nova York e quer fugir da agitada vida da cidade.

Chegando a Staten Island

Você pode chegar a Staten Island atreves de Nova York, por terra, pela da ponte Verrazzano-Narrows, de carro ou ônibus que conecta a ilha ao distrito de Brooklyn.

No entanto, a alternativa favorita dos turistas é a linha de Staten Island Ferry.

Os barcos partem do terminal South Ferry, Lower Manhattan, que é facilmente acessível pelas linhas de metrô R e W, saindo na parada de Whitehall ou pela linha 1 e chegando na parada da estação de ferry.

Uma vez a bordo, os navios permitirão chegar ao Terminal de Ferry de Saint George.

Os ferries funcionam todos os dias do ano e são totalmente gratuitos.

O passeio leva cerca de 30 minutos e você pode desfrutar de uma bela vista de toda a cidade de Nova York e da Estátua da Liberdade.

Recomendações ao pegar balsa para Staten Island:

  • Não é permitido fumar a bordo do ferry, como na maioria das áreas do Terminal.
  • No ferry, você pode comprar lanches, bebidas e cervejas.
  • As bicicletas podem ser carregadas a bordo, mas devem ser deixadas no espaço fornecido durante o embarque.
  • Você pode trazer skates e patins a bordo, mas não pode usá-los durante a corrida ou dentro do terminal.

Para aproveitar a viagem ao máximo, eu recomendo que você evite os horários de pico. Nos dias úteis, o horário é das 6:00 às 9:00 da manhã e das 15:30 às 18:00 da tarde.

O que fazer em Staten Island

Depois de desembarcar na ilha perto do terminal, você pode visitar o Staten Island September 11th Memorial. Este monumento feito em memória das 274 vítimas do ataque as Torre Gêmea e representa duas alas prontas para o voo, enquadrando o perfil dos arranha-céus de Manhattan ao fundo.

Ao norte da ilha fica o Snug Harbor Cultural Center & Botanical Garden.

Dentro deste parque, você terá a oportunidade de admirar o jardim botânico da ilha dividido em muitos pequenos jardins temáticos, como o Jardim das Rosas ou o labirinto de arbustos do Jardim Secreto de Connie Gretz.

Outro lugar marcante é o New York Chinese Scholars Garden, uma fiel proposta de um jardim chinês clássico, com componentes arquitetônicos característicos, como pontes e pagodes.

Também no Snug Harbor, você pode visitar o Staten Island Children Museum e a Noble Maritime Collection.

O primeiro é um museu dedicado a exposições e atividades interativas para crianças, enquanto o segundo é uma exposição de pinturas marítimas e modelos de navios do artista John A. Noble.

Outro museu que poderia interessar os italianos, é o Garibaldi-Meucci Museum.

Esta propriedade está localizada no distrito italiano de Rosebank e já recebeu nossos compatriotas em diferentes épocas. É possível visitá-lo através de visitas guiadas ou até participar de oficinas e conferências.

Mais adiante, em direção ao centro de Staten Island, está o Jacques Marchais Museum of Tibetan Art. Dentro do prédio, você pode admirar a coleção de um grande especialista em cultura tibetana, Jacques Marchais, que fundou o Museu em 1945.

Além da exposição, também são realizadas aulas de Tai Chi e meditação, leituras e apresentações musicais.

Você também pode participar de ritos celebrados por monges tibetanos e saborear pratos típicos da pequena cidade situada na maior cordilheira do mundo.

Não muito longe deste museu, você pode visitar a Historic Richmond Town.

É uma antiga vila de 1700 completamente reconstruída, na qual é possível fazer visitas guiadas, durante as quais as pessoas se reúnem em trajes tradicionais da época com a intenção de realizar atividades típicas daquele momento histórico.

Em alguns períodos do ano, também serão realizadas representações históricas, como a reconstrução da guerra civil americana.

Vale a pena visitar os inúmeros parques e praias de toda a ilha, como South Beach ou o Great Kills Park. Dentro deste último parque, é possível chegar à praia de Great Kills Beach.

 


Museu Nacional do Índio Americano September 05 2019

Na área de Lower Manhattan, você pode visitar um museu dedicado a promover e apoiar os valores da cultura e tradições dos nativos americanos no coração de Nova York.

O Museu Nacional do Índio Americano foi criado pela primeira vez em 1916 por George Gustav Heye e aberto ao público no local do Audubon Terrace em 1922.

Somente em 1994, a exposição foi transferida para a localização atual da Casa da Alfândega de Alexander Hamilton nos EUA.

Desde 1989, o Museu Nacional do Índio Americano ingressou na Smithsonian Institution, o maior complexo de museus do mundo.

Hoje existem três estruturas que fazem parte do Museu Nacional do Índio Americano.

O George Gustave Heye Center, em Nova York, é o local histórico que abriga exposições, pesquisas, atividades educacionais e programas de artes cênicas.

Em 2003, o escritório da Suitland em Maryland foi aberto. Um centro de recursos culturais que abriga as coleções do museu, uma biblioteca e arquivos fotográficos.

Finalmente, em 2004, o Washington DC National Mall foi inaugurado, onde exposições, conferências, simpósios e atividades de pesquisa e educação são realizados.

Onde é e os horários de abertura

O Museu Nacional do Índio Americano em Nova York está localizado em One Bowling Green, na região de Lower Manhattan.

Está aberto todos os dias da semana, das 10 às 17 horas.

Somente às quintas-feiras o horário de funcionamento é de 10 às 20 horas.

A entrada é gratuita.

Como chegar

Embora não esteja localizado em um ponto muito central no distrito de Manhattan, o museu, fica localizado perto de Battery Park, de onde saem as balsas para Liberty Island, e é facilmente acessível por transporte público.

Usando o metrô, pegue as linhas 4 e 5 para Bowling Green ou as linhas J e Z para a Broad Street ou para as linhas 2 e 3 que passam por Wall Street.

Para quem deseja optar pelo ônibus, a parada de referência é a State Street - Bridge Street, atendida pelas linhas M5, M15 e M20.

O que ver

A exposição principal é chamada "Infinito das Nações". Esta exposição permanente, reúne cerca de 700 obras de arte de todo o continente americano.

O objetivo é focar a atenção do espectador na importância histórica das populações nativas do local.

A partir da entrada principal, você encontrará a South Gallery. Enquanto à sua esquerda e à sua direita, você encontrará a East e a West Gallery, dentro da qual exposições temporárias de arte, fotografia e objetos da América Nativa são exibidas.

As duas exposições temporárias que você encontrará neste período são:

  • Cannon: At the Edge of America, que celebra um dos mais influentes e inovadores artistas nativos americanos do século XX (até 16 de setembro).
  • Taino: Native Heritage and the Caribbean, uma exposição sobre as raízes do povo caribenho e sua difução nos Estados Unidos (até 12 de novembro).

No piso inferior está o Dicker Pavilion, onde você pode visitar a exposição multimídia "Circle of Dance", uma experiência que celebra a importância da arte do movimento nas culturas nativas americanas.

Neste mesmo andar há também o Imaginations Activity Center, um espaço interativo no qual, através de experimentos e simulações por computador, todos os visitantes podem descobrir como as invenções mais engenhosas dos nativos influenciaram o mundo moderno.

Visitar este museu é uma experiência única que o enriquecerá muito culturalmente, e é por isso que recomendo visitar, adultos e crianças.

Além das exposições internas, a estrutura que abriga este museu também deve ser admirada. De fato, o Alexander Hamilton U.S. Custom House é um edifício muito interessante do ponto de vista arquitetônico, um exemplo típico da arquitetura Beaux-Arts.

Além disso, essa estrutura também possui um valor histórico particular. De fato, o edifício foi construído no local exato em que os holandeses construíram o Forte Amsterdã em 1625, um forte criado para proteger o que era então o porto de Nova Amsterdã, um ponto comercial com nativos americanos, mas muitas vezes também um local de confronto entre os colonos e os próprios índios.


Chinatown em Nova York: Tudo o que Você Precisa Saber September 02 2019

Nova York é provavelmente a capital multiétnica por excelência e um dos bairros mais característicos da cidade e, certamente, Chinatown.

Desenvolvida na segunda metade do século XIX, a Chinatown mais antiga de Nova York (dado que existem mais duas na cidade, no Queens e no Brooklyn) está localizada em Manhattan e se estende entre Worth Street ao sul, Lafayette Street ao oeste, Allen Street para leste e Grand Street ao norte, onde faz fronteira com Little Italy.

Neste bairro caótico, andando pelas ruas estreitas, você terá a sensação distinta de estar no Oriente, cercado por lojas, casas e perfumes típicos do país mais populoso do mundo.

Uma experiência verdadeiramente sui generis que vale a pena viver.

Como chegar a Chinatown

Dada a sua localização ao lado da Ponte do Brooklyn, Chinatown é facilmente acessível para quem quiser visitá-la.

Usando o metrô, pegue as linhas J, Z, 4 e 6 até a Canal Street ou as linhas N, Q, R e W até a Canal Street Station ou a linha F até East Broadway.

O que ver em Chinatown

Este bairro possui vários locais interessantes que valem a pena visitar.

Ao longo das ruas principais da Canal Street e da Mott Street e das ruas vizinhas, você será atraído por centenas de barracas e pequenas lojas onde você pode comprar lembranças a um preço muito mais acessível do que em outras áreas da cidade.

Além dos objetos, no entanto, as pequenas lojas de alimentos também merecem atenção, que com suas frutas e verduras expostas à cor exterior das ruas, enquanto dos fitoterápicos expande odores e aromas típicos do Extremo Oriente que permeiam as ruas.

Entre as atrações que eu recomendo que você visite estão:

Church of the Transfiguration

Este edifício construído em 1801 recebeu inicialmente celebrações para comunidades irlandesas e italianas que chegaram aos Estados Unidos.

Mais tarde, ele recebeu a comunidade católica chinesa e se tornou uma das maiores congregações católicas romanas chinesas no mundo ocidental.

Precisamente por esse motivo, as celebrações são realizadas não apenas em inglês, mas também em mandarim e cantonês.

Museum of Chinese in America

Eu recomendo uma visita a este museu, mesmo para aqueles que não gostam de civilizações orientais.

É um dos arquivos mais importantes da história chinesa na América.

Dentro, você pode visitar a exposição "Chinese American Experience" ou uma coleção de material fotográfico e documentos que permitem refazer a história da comunidade chinesa nos Estados Unidos.

Mahayana Buddhist Temple

É o maior templo budista de Chinatown.

A entrada principal do edifício tem vista para a Canal Street e na entrada você encontrará duas grandes estátuas representando dois leões de ouro protegendo o templo. No interior, você pode respirar uma área solene de espiritualidade e se encantar diante do gigantesco Buda de ouro de 5 metros de altura, na base das quais estão as ofertas trazidas pelos fiéis, em particular frutas e flores.

Na mesma sala, há também uma área dedicada à oração e, com o pagamento de um dólar, também é possível pegar um bilhete da sorte dentro de uma bacia colocada em frente à estátua.

Finalmente, lá em cima, você encontrará a loja dedicada a acessórios e lembranças em uma atmosfera muito menos espiritual.

Columbus Park

Este é o parque por excelência da comunidade chinesa em Nova York.

Aqui é possível observar os habitantes do bairro durante atividades como artes marciais ou Tai Chi. Ou onde os anciãos se encontram para jogar xadrez ou Mah Jong.

Além disso, se você é fã de cinema, informo que o parque está localizado no que antes era o Five Points, um lugar que ficou famoso pelo filme de Scorsese, Gangs of New York. Uma área infame representada pelo cruzamento de 5 estradas e caracterizada por uma alta taxa de criminalidade, que foi posteriormente erradicada precisamente com a reconstrução da área e a construção do parque.

Chatham Square e a estátua de Liu Ze Xu

Não muito longe de Columbus Park fica a Chatham Square.

Essa praça era usada anteriormente para montar o mercado de gado como uma encruzilhada de algumas das principais ruas do bairro.

Hoje é possível admirar a estátua de Liu Ze Xu.

Ele foi um dos principais arquitetos da guerra ao tráfico e consumo de ópio.

Ao pé da estátua havia uma placa comemorativa em inglês e chinês que dizia: "A Pioneer in the world against drugs".

Aji Ichiban Candy Store

Outro lugar que eu recomendo que você visite é esta loja de doces, onde você pode encontrar centenas de tipos e sabores de doces.

Sugiro que você experimente alguns dos doces que me impressionaram como a pétala de rosa e o amendoim wasabi. Se você é um amante de doce, este é o experimento mais ousado que você pode fazer, o caranguejo cristalizado ou a lula seca.

Onde comer em Chinatown

Restaurantes e quiosques que oferecem diferentes tipos de comida da culinária oriental entre os muitos conselhos.

Jing Fong

É um amplo restaurante localizado entre a Canal Street e a Bayard Street.

Aqui é servido dim sum, uma culinária típica do sul da China, na qual, juntamente com o chá chinês, são oferecidos diferentes tipos de pratos de peixe, carne e legumes.

Uma ótima maneira de experimentar vários pratos tradicionais a preços bastante baixos.

Endereço: 20 Elizabeth Street.

Tasty Hand Pulled Noodles

É um restaurante pequeno e também barato, onde eu recomendo que você prove o macarrão cuja massa é estendida à mão e é servida em caldo acompanhada de frango ou legumes.

E aceito apenas pagamento em dinheiro.

Endereço: 1 Doyers Street.

Mission Chinese Food

Neste restaurante, que tem preços um pouco mais altos que a média em Chinatown, você pode saborear pratos típicos chineses com influências da culinária americana.

Endereço: 171 East Broadway.

Chinatown Ice Cream Factory

Em uma das zonas mais antigas do bairro, será possível provar sorvete com os sabores mais estranhos e extravagantes que você certamente não encontrará em outros lugares. Entre outras, o sabor do wasabi, gergelim preto, chá verde oreo ou até taro (um tipo de raiz semelhante à batata).

Endereço: 65 Bayard Street.


O Summer Streets de Nova York August 15 2019

Em agosto, retorna a Nova York o maior evento dos Estados Unidos que celebra em um espaço público: o Summer Streets 2019.

Por 3 sábados consecutivos, mais precisamente, nos dias 3, 10 e 17 de agosto, o Summer Streets retornará a Nova York.

Aproximadamente 7 milhas (ou aproximadamente 11 Km) de estrada, da Ponte do Brooklyn ao Central Park serão proibidas a qualquer meio de transporte motorizado.

Este evento foi organizado há vários anos pelo Departamento de Transportes de Nova York, seguindo o modelo de outros eventos similares, como a Ciclovia de Bogotá, na Colômbia, ou a Paris Plage, na França.

O objetivo é sensibilizar e incentivar os cidadãos a utilizar meios de transporte sustentáveis e outros. Na verdade, outro objetivo é promover um estilo de vida mais saudável, criando uma cidade mais humana.

Para isso, o mesmo Departamento de Transportes realiza diversas parcerias a cada ano para garantir o desempenho das mais variadas atividades, nas quais os cidadãos podem participar de forma absolutamente gratuita.

O horário para o evento ser executado em todas as três datas será entre 7:00 e 13:00.

Não haverá apenas performances relacionadas ao esporte, que poderão ser feitas por pessoas de qualquer idade e condição física e atlética, mas também eventos e atividades culturais, artísticas e musicais para famílias e crianças.

Ao longo do caminho do Central Park, passando pela Park Avenue, pela Lafayette Street até a Brooklyn Bridge, há 5 pontos de parada.

Cada um desses pontos terá atividades específicas nos três dias diferentes do evento:

- Uptown Rest Stop (endereço e atividade principal: 51st Street e Park Avenue, Children's Corner: Play Free)

- Midtown Rest Stop (endereço e atividade principal: 25th Street e Park Avenue, City PicNic: Sample Free)

- Astor Place Rest Stop (endereço e atividade principal: Astor Place e Lafayette Street, Festival de Dança: Watch Free)

- SoHo Rest Stop (endereço e atividade principal: Spring Street e Lafayette Street, Rock Wall e Fitness Zone: Workout Free)

- Foley Square Rest Stop (endereço e atividade principal: Centre Street e Lafayette Street, ZipLine e Sports Zone: Fly Free)

Dado ao grande número de pessoas que participam a cada ano (basta pensar que no ano passado os participaram cerca de 300.000 pessoas), meu conselho é começar cedo para ter a certeza de poder participar das atividades que mais interessam.

Por exemplo, para aqueles que desejam participar, na manhã de 3 de agosto, a instrutora e fisioterapeuta internacional de yoga, Lara Heimann, organizou uma aula de yoga ao ar livre na Foley Square (com entrada no lado leste da Lafayette Street até a Worth Street). para bater o recorde do Guinness de 399 pessoas realizando uma vertical ao mesmo tempo. O pré-registro é recomendado, mas não obrigatório. Os primeiros 400 convidados que fizerem o check-in nesse dia receberão um presente comemorativo.

A área é central e, portanto, bem conectada e facilmente acessível por metrô através das linhas 4, 5 e 6 ou de bicicleta.

Para aqueles que moram mais longe, também é possível pegar vários trens: o Metro-North até a 125th Street, ou o LIRR até o Atlantic Terminal, no centro de Brooklyn, ou o NJ Transit até a Penn Station. Em qualquer caso, será necessário fazer um trecho de estrada a pé (ou de bicicleta para quem tiver um), para alcançar o objetivo.



Ou para aqueles que precisam, podem chegar à área de carro e estacioná-lo nas ruas laterais do evento ou em uma das inúmeras garagens pagas. Embora a organização, dada a finalidade do evento, sempre convide os cidadãos a aproveitarem o transporte público.


Vista Panorâmica de Manhattan: Liberty State Park July 07 2019

Entre os lugares que oferecem uma vista maravilhosa de Manhattan e permitem que você admire o horizonte de Nova York de outra perspectiva, há o Liberty State Park. Este parque, localizado em Nova Jersey, está localizado além do rio Hudson, atrás da Estátua da Liberdade.


O Liberty State Park não está entre os destinos mais populares para turistas durante sua viagem a Nova York; no entanto, oferece um ponto de vista interessante sobre a metrópole. Meu conselho é combinar uma visita a este parque para uma descoberta mais ampla e profunda de Nova Jersey.

A esse respeito, criei uma turnê que apresentará a verdadeira alma de New Jersey e fará com que você descubra lugares pouco conhecidos, mas extraordinários. Por exemplo, o famoso Empty Sky, o memorial em movimento dedicado às vítimas dos ataques de 11 de setembro. Para mais informações, clique aqui.

Liberty State Park

O Liberty State Park, portanto, está localizado em Nova Jersey, precisamente em Jersey City, na margem oposta do rio Hudson, em comparação com o Battery Park. Este grande parque, de cerca de 490 hectares, oferece uma visão incomum da Estátua da Liberdade: por trás!


Inaugurado em 1976, não é famoso por seus espaços verdes, mas porque oferece uma vista extraordinária de Manhattan. Na verdade, é um dos melhores pontos de observação para apreciar o famoso horizonte de Nova York.

No centro do parque está a chamada Freedom Way, que divide o Liberty State Park entre a área com vista para o rio Hudson (acessível ao público) e a que não pode ser visitada. Existem muitos percursos pedonais e de ciclovias nesta área.

Certamente, durante a sua visita, você vai notar a ponte que liga o parque com Ellis Island! Infelizmente, esta ponte é para uso exclusivo de veículos e para aqueles que possuem uma autorização específica. Por este motivo, não é acessível a pé.

La Liberty Walkway e il memoriale Empty Sky

Há dois pontos interessantes que eu recomendo fortemente que você não perca ao visitar o Liberty State Park: o Liberty Walkway e o Memorial Empty Sky.


O Liberty Walkway é o caminho que oferece uma vista fantástica, não apenas sobre Manhattan, mas também sobre parte de Nova Jersey e a Estátua da Liberdade (que é visto da parte traseira e / ou lateral). Impossível resistir à tentação de tirar fotos. Realmente sugestivo.

O Empty Sky é o memorial que faz uma homenagem às vítimas dos ataques de 2001. Foi inaugurado em 11 de setembro de 2011, por ocasião dos dez anos desde os ataques terroristas que feriram profundamente não só a América, mas o mundo inteiro. Estas são duas paredes paralelas colocadas na direção do ponto exato onde estavam as torres gêmeas. Os nomes de todas as vítimas foram gravados em ambas as paredes; além disso, perto do memorial, restos estruturais do World Trade Center também foram encontrados. Emocionante.

Outro ponto interessante dentro do parque é o Liberty Science Center. É um museu científico interativo com um propósito educativo voltado para os jovens. Clique aqui para saber mais.

Liberty State Park: como chegar

Para chegar diretamente ao Liberty State Park de Manhattan, o caminho mais rápido é pegando uma balsa. Na verdade, o Liberty Landing Ferry conecta a área do World Financial Center com o parque.




Existem outras soluções (por exemplo, o PATH), mas elas não levam diretamente ao Liberty State Park.


Café da Manhã em Nova York: 6 Lugares Imperdíveis July 06 2019

Começar o dia com um bom e abundante café da manhã é essencial para enfrentá-lo melhor e com a energia certa. Se você se encontra em Nova York e sua intenção é explorar a cidade que nunca dorme em cada esquina, a hora do café da manhã se torna indispensável!

Na grande maçã, há poucos hotéis que incluem café da manhã no pacote. Normalmente, você tem que pagá-lo separadamente ou, em algumas estruturas, não é ofertado. Isto, que à primeira vista pode parecer-lhe um desconforto, é na verdade um aspecto positivo, porque lhe permitirá descobrir diferentes lugares e saborear muitas especialidades americanas, do doce ao salgado.

Em Nova York há muitos lugares onde você pode tomar café da manhã, das cadeias mais comerciais aos restaurantes mais exclusivos. Há realmente muitas possibilidades de escolha! Além disso, ao contrário do que se pensa, o café da manhã americano não é apenas salgado, mas inclui muitas e diferentes possibilidades: panquecas, bagels, cupcakes, donuts, cheesecakes, etc.

Neste artigo, falo de 6 lugares que em Nova York são muito famosos e populares para o café da manhã e que, com certeza, farão o seu dia começar melhor!


Levain Bakery

167 West 74th Street, At Amsterdam Avenue

Um paraíso para os gulosos. Então, se você prefere um café da manhã doce e quer experimentar alguns dos tradicionais doces americanos, este é um lugar que eu recomendo.

Se você for ao Levain Bakery não pode deixar de experimentar os cookies que são cozidos continuamente! Alguns sabores: Levain Chocolate Manteiga De Amendoim Chip Cookie, Levain Oatmeal Biscoito De Aveia, Levain Chocolate Chip Walnut Cookie ...

Website: levainbakery

Clinton St. Baking Company & Restaurant

4 Clinton Street

Se você quiser provar as famosas e tradicionais panquecas americanas, este é o lugar para você! Ele está localizado no Lower East Side e oferece um menu bastante variado embora, como mencionado acima, sua especialidade é panquecas. Os sabores mais populares: panquecas de mirtilo, panquecas de noz de banana e panquecas de chocolate.

A Clinton St. Baking Company & Restaurant foi inaugurado apenas em 2001 e, em pouco tempo, alcançou um sucesso extraordinário. Por esse motivo, como você pode imaginar, o local está frequentemente lotado.

Site: clintonstreetbaking

 

Balthazar

80 Spring Street

Este lugar é uma instituição real em Nova York, também frequentada por celebridades! Foi inaugurado em 1997 e está localizado no distrito do SoHo. A atmosfera é aquela da tradicional brassiere francês.

Porque eles são especializados em cozinha francesa, o seu French Toast é muito popular! O prato com café-da-manhã inglês também é excelente, assim como os waffles.

Muitos escolhem para o brunch de domingo. Meu conselho é reservar com antecedência, especialmente se você quiser ir durante o fim de semana.

Website: balthazarny

 

Sarabeth’s

Outro ponto de referência para o café da manhã em Nova York é o de Sarabeth’s.

Neste lugar você pode ter um café da manhã saboroso (por exemplo, com ovos e omeletes) e um café da manhã doce. Neste último caso eu recomendo que você prove as panquecas que são realmente boas!

Na grande maçã, Sarabeth’s tem feito tanto sucesso que várias foram abertas. No entanto, o local histórico continua sendo o do Upper East Side (1295 Madison Ave). Aqui, a atmosfera típica dos anos 80 prevalece.

Site: sarabethsrestaurants

 

Norma’s

119 W 56th St, Le Parker Meridien

O Norma's está localizado dentro do elegante Parker New York, muito perto do Central Park. Todas as manhãs, são servidos cafés da manhã doces e salgados.

O preço não é baixo, mas a qualidade da comida é definitivamente alta. Os pratos tradicionais do café da manhã americano estão todos presentes.

Website: normas

 

Ess-a-Bagel

831 3rd Ave

Como o nome sugere, Ess-a-Bagel é o lugar para você que quer comer o famoso bagel no café da manhã! Inaugurado em 1976, é considerado um dos melhores clubes de bagel em Nova York.

No Ess-a-Bagel são oferecidos diferentes tipos de bagels, todos unidos pelo recheio abundante e confeccionados com ingredientes de qualidade. Para os gananciosos, não perca o recheio com compotas e manteiga de amendoim, enquanto os apreciadores de salgados podem variar de salmão a presunto, de legumes a queijo.

Website: ess-a-bagel


As Melhores Panquecas de Nova York June 23 2019

Se falar sobre uma típica sobremesa americana no café da manhã ou no brunch, tenho certeza que muitos de vocês vão pensar imediatamente em panquecas. Estas "panquecas", que lembram os crepes franceses, mas com uma espessura diferente, são realmente irresistíveis!

Estas são verdadeiras iguarias para o paladar, famosas por sua suavidade e sua cor dourada. Eles podem ser degustados de forma simples com açúcar e xarope de bordo ou de uma forma muito mais deliciosa, com a adição de frutas frescas, chocolate, chantilly, creme de leite ... só há a dúvida da escolha.

Durante sua viagem a Nova York, você não pode perdê-los. Confie em mim! Por outro lado, eles são um componente essencial para um verdadeiro e autêntico café da manhã americano. Portanto, não se esqueça de incluir panquecas entre as especialidades doces para experimentar na grande maçã!

Mas, a essa altura, surge uma questão: onde comer as melhores panquecas de Nova York? Há tantos locais oferecendo-lhes no seu menu. Neste artigo, falo sobre os mais populares da cidade para esses doces típicos da tradição americana. Deixe-me saber o seu favorito!

Clinton St. Baking Company & Restaurant

Considerado por muitos como as melhores panquecas de Nova Iorque, as do Clinton St. Baking Company & Restaurant são verdadeiramente requintadas! Os sabores mais requisitados do lugar são: panquecas de mirtilo, panquecas de chocolate e panquecas de noz de banana.

O Clinton St. Baking Company & Restaurant foi aberto em 2001 pela iniciativa dos chefs Neil Kleinberg e DeDe Lahman, com a intenção de servir cafés da manhã feitos com produtos frescos e simples. O sucesso foi marcante e, por isso, decidiram abrir também para almoço e jantar. Hoje, há um Clinton St. Baking Company & Restaurant também em Tóquio, Dubai, Cingapura e Bangkok.

Como o nome sugere, o local está localizado na Clinton Street, no número 4 (Lower East Side). Dada a sua popularidade, é sempre bastante cheia, por isso recomendo que evite horários de pico e fins de semana. O preço não é baixo (cerca de US $ 15 para uma porção de panquecas), mas vale a pena!

Sarabeth’s

Uma verdadeira instituição em Nova York para café da manhã e brunch. O primeiro Sarabeth's foi inaugurado em 1983 e foi tão bem-sucedido que, ao longo dos anos, outros espaços foram abertos não apenas em Nova York, mas no mundo.

 

Atualmente, na grande maçã existem 5 restaurantes de Sarabeth`s e estão localizados em diferentes pontos da metrópole. Especificamente, eles estão localizados em:

  • Central Park South (40 Central Park S)
  • Tribeca (339 Greenwich St)
  • Upper West Side (423 Amsterdam Ave)
  • Park Avenue South (381 Park Ave S)
  • Upper East Side (1295 Madison Ave)

O Sarabeth's no Upper East Side foi o primeiro a ser aberto e, portanto, é o mais famoso por sua tradição e pela atmosfera dos anos 80.

Difícil resistir às panquecas de Sarabeth! Os sabores pelos quais são famosos: Lemon & Ricotta Pancakes e Buttermilk Pancakes. Obviamente, além de panquecas, o restaurante oferece muitos pratos tradicionais americanos.

Este não é um lugar barato (um prato de menu de pequeno-almoço varia de US $ 20 para cima), no entanto, o ambiente, serviço e qualidade refletem o preço. No site você pode ver todos os pratos e horários dos diferentes Saraby´s.

Este não é um lugar barato (um prato de menu de pequeno-almoço varia de US $ 20 para cima), no entanto, o ambiente, serviço e qualidade refletem o preço. No site você pode ver todos os pratos e horários dos diferentes Saraby´s.

Bubby’s

O Bubby's, inaugurado em 1990 e frequentemente frequentado por celebridades, prepara muitos pratos americanos, mas muitos o consideram uma referência para panquecas. As coberturas são variadas: mirtilos, banana caramelizada e nozes tostadas, nutella com morangos e creme. São apenas algumas delas. Um paraíso para gourmands!

Atualmente existem dois Bubby em Nova York:

  • Tribeca (120 Hudson St)
  • Highline (73 Gansevoort St)

Norma’s

O Norma's está localizado no Parker New York, um elegante hotel de 4 estrelas perto do Central Park (119 West 56th Street). O café-da-manhã servido neste lugar é realmente delicioso e satisfaz os gulosos.

Como você pode imaginar, o preço é alto (um prato de panquecas custa cerca de US $ 29-30), no entanto, as porções são muito generosas. Sua especialidade é Panquecas Super Blueberry da Norma, servidas com creme Devonshire. Para celíacos, há também a versão Gluten Free!

Pershing Square

Este local perto da Grand Central Station (90 East 42nd Street) tem uma aparência decididamente "antiquada" e é muito popular no café da manhã ou no brunch. Os pratos no menu são tantos e está aberto para almoço e jantar.

Quanto às panquecas, pode escolher tanto a versão com farinha branca como a farinha de trigo integral e escolher diferentes coberturas (mirtilos, morangos, bananas, etc.).


6 Melhores Lojas de Souvenirs de Nova York May 05 2019

Eu não sei quem de vocês está ciente disso, mas a palavra lembrança é francesa e significa literalmente "memória". É, portanto, o termo perfeito para indicar o objeto que se torna uma memória da jornada e do destino visitado.

Durante a sua viagem na grande maçã, você provavelmente vai encontrar-se na necessidade de comprar pequenos pensamentos, lembranças para dar aos amigos, parentes e, por que não, para você mesmo!


Em Nova York há muitas lojas de souvenirs e elas podem ser encontradas em todos os lugares: tanto nas áreas mais turísticas quanto nos distritos puramente residenciais. Geralmente, o preço varia muito dependendo da área onde a loja está localizada. Se você se concentrar em poupar, um bairro muito adequado é Chinatown e Little Italy. Pelo contrário, na Times Square, os custos são mais elevados.

Abaixo, eu relato as 6 lojas de souvenirs mais populares de Nova York. Em alguns, você encontrará itens mais originais e incomuns; em outros, em vez disso, você encontrará as lembranças clássicas e tradicionais, aquelas que se prestam bem a presentes rápidos e "mais fáceis".

Peixe Eddy

Fishs Eddy, perto da Union Square (889 Broadway), é uma loja muito famosa na Big Apple. Este não é a “tradicional” loja de presentes, mas sim o conceito é o de uma loja de presentes e utensílios domésticos, alguns dos quais se concentram em Nova York.



Os preços não são baixos, mas, nesta loja, é possível encontrar itens específicos e, às vezes, difíceis de encontrar na Europa. Alguns objetos de design são perfeitos se você estiver procurando por um presente que impressiona com a sua originalidade!

horas de serviço:

  • De segunda a sábado das 10:00 às 21:00h
  • Domingo das 10:00 às 20:00h

Loja de Design do MoMA

Se você está procurando lembranças não-triviais e talvez inspirado no maravilhoso mundo da arte, o lugar para você é a Loja de Design do MoMA.




Existem 3 lojas desse tipo em Nova York. O primeiro é o encontrado dentro do MoMA, o Museu de Arte Moderna de Nova York (11 W 53rd St). A segunda é perto do museu (44 W 53rd St) entre a quinta e a sexta rua. Finalmente, o último está no bairro do SoHo (81 Spring Street).

No site dedicado à loja você poderá ver os artigos à venda que são muitos e variam em todo tipo de categoria: de objetos para o lar a artigos tecnológicos sem esquecer as impressões, cartazes e livros dedicados à arte e trabalhos de grandes artistas.

Citystore

A CityStore é a loja oficial em Nova York e é, portanto, o local ideal para turistas que procuram itens e itens oficiais da Big Apple. Ele está localizado no seguinte endereço: 1 Center Street (perto da entrada para pedestres da Ponte do Brooklyn).

Nesta loja, portanto, você encontrará artigos com a licença oficial do FDNY, NYPD, táxi NYC, DSNY, NYC Subway e mais ... também livros e guias sobre a cidade que nunca dorme.

Clicando aqui você pode ver a grande variedade de objetos que a CityStore vende: ímãs, gravuras, copos, canetas, bolsas, acessórios, etc. Há algo para todos!

horas de serviço:

Segunda a sexta das 10:00 às 17:00h

Memories of New York

Esta loja localizada perto do Flatiron Building e, mais precisamente, no número 206 da quinta rua, tornou-se um ponto de referência para os turistas que procuram grandes recordações de maçã
. Lá dentro, você pode encontrar qualquer tipo de artigo relacionado a Nova York: das famosas camisetas com as palavras I Love New York, às bolas de vidro com neve dentro ou, novamente, aos chaveiros, etc ...


horas de serviço:

todos os dias das 9:00 às 21:00h

Artists & Fleas

Muitos turistas optam por comprar um objeto único feito por artistas locais como lembrança. Este é o caso do mercado Artists & Fleas, onde você pode encontrar criações feitas à mão, bem como objetos vintage para colecionar.


O primeiro Artists & Fleas foi inaugurado em 2003 em Williamsburg, um conhecido bairro de Brooklyn; hoje em Nova York você também pode encontrá-lo no Chelsea Market (88 10th Ave) ou no distrito SoHo (568 Broadway). É ideal para quem quer dar um presente não convencional!

Clicando aqui você encontrará os horários de cada loja da Artists & Fleas, os eventos planejados e os vendedores e / ou artistas presentes no mercado.

Grand Slam

Esta loja, nascida para a venda de roupas masculinas, ao longo dos anos se transformou em uma loja de souvenirs, artigos esportivos e roupas de várias marcas. Aqui, por exemplo, você encontrará camisas do New York Yankees!

Apesar de estar no coração da Times Square (1557 Broadway), possui preços bastante competitivos. Outra força é a ampla gama de itens oferecidos para venda.

horas de serviço:

todos os dias das 9:00 às 24:00h.


The Wall Street Bull: Histórias e Curiosidades May 03 2019

Um dos símbolos do distrito financeiro de Nova York é o famoso Charging Bull, o Wall Street Bull, também conhecido como Wall Street Bull ou Bowling Green Bull. Esta escultura de bronze goza de grande fama não só entre os nova-iorquinos, mas também entre os turistas que, durante a sua estada na Big Apple, não perdem a oportunidade de vê-la ao vivo.

Há tantas pessoas que, todos os dias, caminham pelo distrito financeiro de Nova York em busca dessa escultura na forma de Touro, para poder tocá-la, pois é dito que isso traz tanta sorte! Claro, há muitas fotos e selfies para capturar o momento.


Não surpreendentemente, o Touro de Carga, um verdadeiro símbolo de Wall Street, é uma das atrações mais fotografadas da grande maçã. Por esta razão, esteja preparado para enfrentar a fila para poder levar as suas fotos de lembrança!

Todo mundo sabe a crença de que tocar no Taurus traz boa sorte, mas poucos estão cientes da extraordinária história que está por trás desta escultura de bronze. Neste artigo, além de dar a você todas as informações para alcançá-lo, falarei sobre isso.

História

Tudo começou na noite de 15 de dezembro de 1989. Foi nessa noite que Arturo di Modica, um escultor italiano de origem siciliana, posicionou, com a ajuda de amigos, a escultura da Bull bem em frente ao prédio da Bolsa de Valores. Na manhã seguinte, o espanto dos corretores e residentes foi verdadeiramente notável! Alguns achavam que era uma piada, outros, em vez disso, achavam que era um trabalho encomendado pelas instituições. Ninguém estava certo ...

Na realidade, a escultura do Touro, com um peso de 3,2 toneladas e com suas dimensões consideráveis ​​(4 metros de altura e 5 metros de comprimento), tinha sido colocada de livre iniciativa pelo artista italiano. Portanto, sem permissão, Arturo di Modica decidiu colocar a estátua no coração de Wall Street, aproveitando o momento em que a patrulha de guarda estava distante.

A escolha do Touro de Carga, que significa literalmente touro para atacar, não foi de todo aleatória.

No mercado de ações, o touro simboliza a fase de subida dos mercados, ao contrário do urso que representa a fase de baixa. Portanto, o touro imortalizado em uma posição de ataque queria simbolizar a ascensão dos mercados e, isso, teve suas razões mais profundas. De fato, após a quebra do mercado de ações em 1987, Arturo di Modica pretendia enviar uma mensagem de esperança e força a todos aqueles que haviam sido afetados pelo desastre financeiro.

Este episódio afetou profundamente a opinião pública e a fama do italiano Arturo di Modica cresceu dramaticamente. Sua história como artista chegou a Nova York em busca de fortuna e para se realizar, através da abertura de seu próprio estúdio, foi a história da redenção que reuniu tantas pessoas que encontraram sua fortuna na América. Esta obra de arte inspirou confiança e esperança no futuro da economia.

Por todas essas razões, quando os corretores da bolsa ordenaram a remoção da escultura, logo chegaram as reações dissidentes das pessoas. A essa altura, o Bull cobrando tinha entrado no coração dos americanos ...


Foi, portanto, decidido mudar o trabalho perto do parque Bowling Green, o parque mais antigo de Nova York, a poucos passos de Wall Street e do começo da Broadway Street.

Onde é

Como mencionado acima, o Touro de Carga está localizado no pequeno quadrado que faz parte do Parque Bowling Green. O endereço a ser digitado no Google Maps é o seguinte: Nova York, 10004, Estados Unidos.

Com o metrô é possível chegar com as linhas 4 e 5 (parada Bowling Green) ou com as linhas 2 e 3 (parada Wall Street).

Curiosidade

  • O artista siciliano apoiou pessoalmente o custo de criar a escultura. Este último é de cerca de US $ 360.000.
  • O trabalho foi colocado ilegalmente em frente ao prédio da bolsa de valores em pouco tempo. Demorou cerca de 8 minutos para vigilância para patrulhar a área.
  • Acredita-se que tocar os chifres, nariz e testículos do Touro de Carga traz boa sorte.
  • Em 2004, Arturo di Modica colocou à venda a escultura Toro a partir de 5 milhões de dólares. Especificando a obrigação para o comprador de não mover o trabalho.
  • Hoje, o artista siciliano é um dos escultores mais famosos do mundo.

O Jardim Botânico do Brooklyn April 29 2019

Nova York não é feita apenas arranha-céu, mas é uma metrópole cheia de espaços verdes que permitem que tanto os nova-iorquinos quanto os turistas se isolem do frenesi da cidade que nunca dorme e aproveitem momentos de relaxamento e recreação.

Entre esses espaços verdes, um lugar especial é ocupado pelo Jardim Botânico do Brooklyn, no Jardim Botânico do Brooklyn. É uma das principais atrações da Big Apple para aqueles que amam a natureza e estão entre os lugares mais bonitos para visitar durante a primavera de Nova York.


Portanto, se você está em Nova York neste momento, aconselho a não perder a oportunidade de admirar este maravilhoso jardim botânico. Além disso, todos os anos, no final deste mês e início de maio (este ano nos dias 27 e 28 de abril), é realizado o Sakura Blossom Cherry Blossom Festival, que é o festival da flor de cerejeira. Um show único!

Para saber tudo o que você precisa saber sobre o Jardim Botânico do Brooklyn, continue lendo!

História

No século XIX, este parque era apenas um depósito para as cinzas. A decisão de construir um jardim botânico remonta a 1897 e em 1910 o Jardim Botânico do Brooklyn foi oficialmente inaugurado. Inicialmente, o jardim não era tão rico em seções e áreas como hoje; por exemplo, o famoso Jardim Japonês foi concluído mais tarde, bem como uma série de atividades e eventos que tornaram essa atração em Nova York muito popular ao longo do tempo.

Hoje, o Jardim Botânico do Brooklyn ocupa uma área de cerca de 21 hectares e abriga, por dentro, extraordinárias variedades de plantas e flores que dão vida a cenários oníricos! Com mais de 12.000 espécies de plantas, é uma parada imperdível para os amantes da natureza. No site oficial, há uma seção onde você pode ver as plantas com flores do período.

Principais atrações e pontos de interesse

Uma das atrações mais importantes do Jardim Botânico do Brooklyn é o Jardim Japonês. É um jardim de inspiração japonesa com muitas cerejeiras que estão em plena floração na primavera e, portanto, neste momento, elas atingem seu máximo esplendor. Eles completam a paisagem: o pequeno lago, o templo xintoísta, as rochas, as pontes de madeira ... parece ter sido transportado da terra do sol nascente.

Outro ponto de interesse é o Cranford Rose Garden. Este jardim é uma extraordinária explosão de rosas. Pense um pouco: alguns deles foram plantados em 1927! Nesta seção, a floração começa em junho e dura até setembro, dando um cenário fantástico: mais de 1.400 variedades de rosas com cores iridescentes e aromas inebriantes.

O Lily Pool Terrace é muito popular. Para começar você verá as piscinas de nenúfares, plantas aquáticas e plantas carnívoras que povoam esta área do jardim botânico.

Se você visitar o Brooklyn Botanic Garden no outono, não poderá deixar de admirar o Rock Garden: o jardim de pedras cheio de árvores verdes e arbustos floridos.

No inverno, no entanto, a neve torna o jardim botânico ainda mais mágico! E para se aquecer, você pode se refugiar dentro da estufa do Steinhardt Conservatory. Bem aqui, além de plantas tropicais, há uma enorme coleção de bonsai!

Há muitas outras seções e áreas que compõem o Jardim Botânico do Brooklyn. Todos juntos contribuem para tornar este jardim botânico especial em qualquer estação que seja visitada. Além disso, os eventos, organizados periodicamente, não deixam você entediado! Clique aqui para descobrir o que está no cronograma.

Como chegar

O Brooklyn Botanic Garden está localizado no Prospect Park, no coração do Brooklyn e atrás do Brooklyn Museum. O endereço a ser digitado no Google Maps para alcançá-lo é o seguinte: 990 Washington Ave, Brooklyn, NY.

De metro, você pode chegar lá, pegando as linhas B e Q (parada Prospect Park), a linha S (parada do Jardim Botânico) e as linhas 2 e 3 (parada Eastern Parkway-Brooklyn Museum).

Horários e Tickets

Abaixo estão os horários do Jardim Botânico do Brooklyn:

- de março a outubro, de terça a sexta, das 8:00 às 18:00 horas (de abril a setembro, quase toda terça-feira, o jardim fecha às 8 ou 20h30)

Sábado e domingo das 10:00 às 18:00h.

Fechando na segunda-feira (exceto exceções)

- novembro

de terça a sexta-feira das 8:00 às 16:30h.

Sábado e domingo das 10:00 às 16:30h.

fechando na segunda e no dia de ação de graças

de dezembro a fevereiro

de terça a domingo, das 10:00 h às 16:30 h

Fechamento de segunda-feira (exceto exceções)

Fechado no Natal e Ano Novo

Este ano, em 2019, de março a novembro, a entrada do jardim botânico é gratuita todas as sextas-feiras até o meio-dia. Enquanto, de dezembro a fevereiro, o acesso será gratuito nos dias de semana. Em geral, o preço do ingresso para adultos é de $ 15, enquanto que para os idosos (> 65 anos) e para os estudantes é de $ 8. Crianças (menores de 12 anos) têm direito a entrada gratuita.

Obviamente, para acesso aos festivais organizados dentro do jardim (por exemplo, o de Sakura Matsuri nos dias 27 e 28 de abril) é necessário adquirir outro ingresso. Aqui você pode aprender mais com outras informações.

Além disso, o Brooklyn Botanic Garden faz parte do circuito de New York Pass, que permite a entrada com desconto em muitas atrações de Nova York. Clique aqui para comprá-lo

Outra possibilidade é o chamado Bilhete de Arte e Jardim, que permite a você visitar tanto o jardim botânico quanto o Museu do Brooklyn nas proximidades, com um único bilhete no mesmo dia.

 


O Jardim Botânico do Brooklyn April 29 2019

Nova York não é feita apenas arranha-céu, mas é uma metrópole cheia de espaços verdes que permitem que tanto os nova-iorquinos quanto os turistas se isolem do frenesi da cidade que nunca dorme e aproveitem momentos de relaxamento e recreação.

Entre esses espaços verdes, um lugar especial é ocupado pelo Jardim Botânico do Brooklyn, no Jardim Botânico do Brooklyn. É uma das principais atrações da Big Apple para aqueles que amam a natureza e estão entre os lugares mais bonitos para visitar durante a primavera de Nova York.


Portanto, se você está em Nova York neste momento, aconselho a não perder a oportunidade de admirar este maravilhoso jardim botânico. Além disso, todos os anos, no final deste mês e início de maio (este ano nos dias 27 e 28 de abril), é realizado o Sakura Blossom Cherry Blossom Festival, que é o festival da flor de cerejeira. Um show único!

Para saber tudo o que você precisa saber sobre o Jardim Botânico do Brooklyn, continue lendo!

História

No século XIX, este parque era apenas um depósito para as cinzas. A decisão de construir um jardim botânico remonta a 1897 e em 1910 o Jardim Botânico do Brooklyn foi oficialmente inaugurado. Inicialmente, o jardim não era tão rico em seções e áreas como hoje; por exemplo, o famoso Jardim Japonês foi concluído mais tarde, bem como uma série de atividades e eventos que tornaram essa atração em Nova York muito popular ao longo do tempo.

Hoje, o Jardim Botânico do Brooklyn ocupa uma área de cerca de 21 hectares e abriga, por dentro, extraordinárias variedades de plantas e flores que dão vida a cenários oníricos! Com mais de 12.000 espécies de plantas, é uma parada imperdível para os amantes da natureza. No site oficial, há uma seção onde você pode ver as plantas com flores do período.

Principais atrações e pontos de interesse

Uma das atrações mais importantes do Jardim Botânico do Brooklyn é o Jardim Japonês. É um jardim de inspiração japonesa com muitas cerejeiras que estão em plena floração na primavera e, portanto, neste momento, elas atingem seu máximo esplendor. Eles completam a paisagem: o pequeno lago, o templo xintoísta, as rochas, as pontes de madeira ... parece ter sido transportado da terra do sol nascente.

Outro ponto de interesse é o Cranford Rose Garden. Este jardim é uma extraordinária explosão de rosas. Pense um pouco: alguns deles foram plantados em 1927! Nesta seção, a floração começa em junho e dura até setembro, dando um cenário fantástico: mais de 1.400 variedades de rosas com cores iridescentes e aromas inebriantes.

O Lily Pool Terrace é muito popular. Para começar você verá as piscinas de nenúfares, plantas aquáticas e plantas carnívoras que povoam esta área do jardim botânico.

Se você visitar o Brooklyn Botanic Garden no outono, não poderá deixar de admirar o Rock Garden: o jardim de pedras cheio de árvores verdes e arbustos floridos.

No inverno, no entanto, a neve torna o jardim botânico ainda mais mágico! E para se aquecer, você pode se refugiar dentro da estufa do Steinhardt Conservatory. Bem aqui, além de plantas tropicais, há uma enorme coleção de bonsai!

Há muitas outras seções e áreas que compõem o Jardim Botânico do Brooklyn. Todos juntos contribuem para tornar este jardim botânico especial em qualquer estação que seja visitada. Além disso, os eventos, organizados periodicamente, não deixam você entediado! Clique aqui para descobrir o que está no cronograma.

Como chegar

O Brooklyn Botanic Garden está localizado no Prospect Park, no coração do Brooklyn e atrás do Brooklyn Museum. O endereço a ser digitado no Google Maps para alcançá-lo é o seguinte: 990 Washington Ave, Brooklyn, NY.

De metro, você pode chegar lá, pegando as linhas B e Q (parada Prospect Park), a linha S (parada do Jardim Botânico) e as linhas 2 e 3 (parada Eastern Parkway-Brooklyn Museum).

Horários e Tickets

Abaixo estão os horários do Jardim Botânico do Brooklyn:

- de março a outubro, de terça a sexta, das 8:00 às 18:00 horas (de abril a setembro, quase toda terça-feira, o jardim fecha às 8 ou 20h30)

Sábado e domingo das 10:00 às 18:00h.

Fechando na segunda-feira (exceto exceções)

- novembro

de terça a sexta-feira das 8:00 às 16:30h.

Sábado e domingo das 10:00 às 16:30h.

fechando na segunda e no dia de ação de graças

de dezembro a fevereiro

de terça a domingo, das 10:00 h às 16:30 h

Fechamento de segunda-feira (exceto exceções)

Fechado no Natal e Ano Novo

Este ano, em 2019, de março a novembro, a entrada do jardim botânico é gratuita todas as sextas-feiras até o meio-dia. Enquanto, de dezembro a fevereiro, o acesso será gratuito nos dias de semana. Em geral, o preço do ingresso para adultos é de $ 15, enquanto que para os idosos (> 65 anos) e para os estudantes é de $ 8. Crianças (menores de 12 anos) têm direito a entrada gratuita.

Obviamente, para acesso aos festivais organizados dentro do jardim (por exemplo, o de Sakura Matsuri nos dias 27 e 28 de abril) é necessário adquirir outro ingresso. Aqui você pode aprender mais com outras informações.

Além disso, o Brooklyn Botanic Garden faz parte do circuito de New York Pass, que permite a entrada com desconto em muitas atrações de Nova York. Clique aqui para comprá-lo

Outra possibilidade é o chamado Bilhete de Arte e Jardim, que permite a você visitar tanto o jardim botânico quanto o Museu do Brooklyn nas proximidades, com um único bilhete no mesmo dia.

 


O Carnaval de Nova York é realizado na primeira segunda-feira de Setembro. Feliz Labor Day! September 08 2016

Por Maria Grazia De Luca

deluca.marymary@gmail.com

Estamos no fim de semana que é comemorado o Labor Day (A festa do trabalho), a festa pelo dia do trabalho é celebrada pelos americanos na primeira segunda-feira de setembro desde 1882. Se o feriado comemorado dia Primeiro de Maio continua sendo para muitos de nós o ícone do dia dos trabalhadores, e a oportunidade de celebrar a dignidade do trabalho (também como uma forma especial de lembrar as muitas vítimas do trabalho por todo o mundo), aqui em Nova York entre os muitos eventos que acontecem nos dias de hoje, com certeza esse está incluído, ele é chamado por muitos de “the greatest show in the earth”, o New York City Caribbean Parade, conhecido como West Indian Day Parade.
 
Certamente esse é o dia mais esperado pela comunidade caribenha do Brooklyn, que também foi homenageada pelo artista de hip-hop Jay-Z em sua canção "Empire State of Mind" quando ele canta: “Three dice Cee-lee, Three card Monte, Labor Day Parade, rest in pace Bob Marley".

O ponto de encontro da West Indian Parade é o Museu do Brooklyn (200 Eastern Pkwy). A saída está marcada para 11 horas, e o desfile vai passar pelo bairro de Crown Hights em direção ao Grand Army Plaza, onde existe um programa de "Grand Finale" marcada para as seis horas. É claro que você pode escolher um ponto estratégico e assistir apenas um pedaço do desfile, procure se informar sobre as mudanças nos serviços de metrô e ônibus, por causa do grande número de pessoas na área do Brooklyn.

Ano passado resolvi fazer a experiência e participar do Carnaval Caribenho do Brooklyn, aceitei o convite de uma amiga para se juntar a ela e ao seu “boyfriend” jamaicano de assistir esse famoso desfile. Eu pensei que seria também uma oportunidade de ouro para mostrar a minha mãe, que tinha vindo me visitar em Nova York, um evento único, autêntico, além das ruas turísticas da Times Square. E eu não estava errada, o desfile superou as minhas expectativas.
 
A West Indian Parade é uma experiência difícil de descrever em palavras, é necessário experimentar pessoalmente, se deixando levar pela vitalidade irresistível dos povos do Caribe, que sabem como se divertir ao som de tambores e instrumentos musicais tradicionais.

Fui com a minha mãe no ápice do desfile, tocando salsa, calipso, reggae e soca, as mulheres e os homens geralmente bem fortes fisicamente, movimentam seus corpos com força e uma harmonia incrível - eles têm música no sangue - geralmente com vestidos muito coloridos, com grandes plumas que vibram no ar enquanto dançam como se não houvesse amanhã. Isso tudo nos faz lembrar de como é fácil ser feliz e de como devemos valorizar os momentos felizes da nossa vida.
 
No desfile podemos ver as bandeiras de países do Caribe, como Jamaica, Haiti, Trindade e Tobago, Barbados, etc… Eles compartilham o uso do Inglês e do crioulo no idioma. Eu não me lembro de ter visto bandeiras da Republica Dominicana e de Cuba. No final da rua há muita “Street food” caribenha, e muito hambúrguer picante!

A energia do Carnaval Caribenho é incrível, quase que intimidante. Três milhões de pessoas participam desta grande festa, com uma euforia explosiva no Crown Heights no Brooklyn. Eu nunca participei do carnaval brasileiro, no meu imaginário eu sempre cultivei esse evento como uma coisa  incrível, e acredito que com todas as devidas diferenças (com o nível de grandeza redimensionadas aqui em Nova York), os figurinos excêntricos, o desejo de dançar e, especialmente, a energia vibrante da West Indian Carnival do Brooklyn, lembra o que acontece no Rio todo mês de fevereiro.

Essa festa caribenha em Crown Heights de alguma forma começa a fechar o verão de Nova York. Se a energia do Carnaval Caribenho não lhe empolga muito, você pode optar por outros eventos organizados no Labor Day. Você pode optar por passar o dia inteiro em um dos muitos parques nova-iorquinos, o Central Park pode ser a primeira opção, mas também os menos frequentados que ficam ao longo do Rio Hudson (Brooklyn Bridge Park, no Brooklyn ou o Fort Tryon Park, em Uptown), a praia de Coney Island, em Nova York, que tem um parque de diversões a uma curta distância da praia também é um bom destino para os dias menos quentes de setembro (é menos lotado) quando comparado com agosto e julho. Em todos esse lugares é possível ver um lindo por do sol, com todas as cores do mês de Setembro.

O Washington Square Park, em Greenwich Village, por outro lado, pode ser um destino para quem gosta de artesanato, fotografia, esculturas e outras obras de artistas independentes, que na maioria dos casos são estudantes da Universidade de Nova York (NYU), que fica localizada nessa região.

Muitos nova-iorquinos estão fora da cidade no último fim de semana de verão, deixando os visitantes e amantes da Big Apple a chance de torná-la “nossa”, pelo menos por um dia, no Labor Day, que se despede simbolicamente do verão, e marca um novo período de preparação para o outono.


As luzes de Nova York capturadas por Sonya Sklaroff June 21 2016

Por: Mariagrazia De Luca

deluca.marymary@gmail.com

No saguão do luxuoso hotel francês Sofitel, localizado entre a Times Square e a Grand Central Station, tenho um compromisso com a pintora Sonya Sklaroff, que terei a honra de entrevistar para vocês leitores do Minha Viagem a Nova York.

As paredes do hall do hotel já estão preparadas para receber seus quadros incríveis. Seu tema é por excelência a cidade de Nova York.

Os quadros de Sonya retratam Nova York, mas não a cidade que vemos nos cartões postais ou nas fotos que estamos acostumados a ver. Ela retrata especialmente os momentos fugazes de Nova York, uma cidade com tal velocidade, que às vezes é difícil perceber detalhes, como a luz rosa ao anoitecer no fundo das Water Towers, ou o brilho da neve em uma das muitas ruas do centro de Manhattan. Da mesma forma, os rostos fugazes dos pedestres atravessando uma rua ou avenida em um dos muitos dias de chuva da cidade, e Coney Island, com todos os seus jogos de luzes em seus brinquedos eletrônicos.

Quando uma jovem, vestida de forma muito elegante, vem até mim sorrindo e estende a mão, eu logo lotei, essa é Sonya Skalaroff, sem pensar muito, eu a agradeço, "Obrigado, suas pinturas realmente me tocaram!"

Caminhando pelo lobby do Sofitel, foi como se eu estivesse vendo Nova York pela primeira vez de novo, rodeado pelas paisagens nova-iorquinas de Sonya.

“Como você pode ver, eu pinto Nova York, mas a Nova York que eu amo é que a mais antiga uma que as pessoas tendem a não valorizar mais.” “Por exemplo, neste quadro, podemos ver o Empire State Building ao fundo, em segundo plano, você pode reconhecer todos os edifícios famosos, mas eles não os protagonistas da cidade". 

Os verdadeiros protagonistas nas fotos de Sonya são as luzes, cores, emoções e sentimentos. "Você pode ver uma mulher caminhando em direção ao oeste na Houston Street, com o vestido que se move pela brisa.”

Sonya também se mostra muito interessada no tempo. "Em minhas pinturas existem guarda-chuvas realmente molhados em dias de chuva. O clima interfere no humor, mas também nas cores, dependendo da hora do dia. Por exemplo, nesta pintura podemos ver as Water Towers contra um céu dourado de um final de tarde".

Sonya me convidou para acompanhá-la em uma “excursão” pelo hall do Sofitel, (que honra!) Ela será minha guia. Paramos na frente de uma pintura que descreve a festa de San Gennaro realizada todo mês de setembro na Little Italy.

"Você já esteve na festa de San Gennaro?" Sonya me perguntou: "É muito engraçado! Jogos, comidas deliciosas e enfeites maravilhosos". Quando perguntei como ela escolhia os temas de suas pinturas, Sonya confessou que “achava” um tema instantaneamente ao caminhar pelas ruas de Nova York. "Por exemplo, eu decidi retratar esse momento da festa de San Gennaro, em uma tarde do outono por causa das luzes: Esse é o momento em que as luzes avermelhadas das decorações começam a se juntar com a luz dourada do céu."

Sonya então acabou confessando o seu amor pela Itália. "Eu estudei em Roma por um ano e esse período foi fundamental na minha formação artística.” Durante a sua estada em Roma, Sonya andava acompanhada de um caderno de desenho e, assim, ia capturando e imortalizado a arquitetura, o céu, e as pessoas em cafés e nas praças da cidade. "Na Itália, eu descobri a luz dourada do fim de tarde, e ainda carrego isso sempre comigo, há 25 anos, desde a minha estadia em Roma, até hoje".

Indo de quadro em quadro, percebo como o céu é lindo! E como é difícil ver entre os arranha-céus de Nova York, que é a parte protagonista das fotos de Sonya.

"Eu amo as paisagens, mas também os momentos íntimos". Estamos nos aproximando de uma pintura que retrata uma loja de conserto de sapatos (shoes repair). "Este é o único retrato do interior de um local exposto no hall do Sofitel”. É o retrato de um sapateiro que tem sua loja perto da minha casa. Por dentro pensei It’s so New York! A Sapataria representada na pintura de Sonya está localizada em Soho, mas poderia estar em qualquer outro bairro de Nova York, especialmente no centro da cidade.

Então uma pintura me chamou a atenção, retratando a Coney Island. "Eu amo a Coney Island", disse Sonya com ênfase. “It’s so much fun!” "Coney Island é a quintessência da Nova York”.

Se eu tivesse que definir o estilo de Sonya com uma palavra, certamente, correndo o risco de simplificar demais, gostaria de usar a palavra "poética". "Eu gosto de jogar com cores e ser ousada! O céu não é apenas azul, também é vermelho ou laranja. De acordo com a cor do céu, tudo se altera, inclusive a cor dos edifícios”.

“Esse quadro indica uma pintura que mostra um dia de neve em qualquer rua da cidade de Nova York”, cujo tema pode ser qualquer canto da cidade, nada de extraordinário à primeira vista. Mas, ao mesmo tempo, é espetacular! Olhe para os detalhes da neve, as pegadas no passeio, as formas das janelas... Isso não é emocionante? “Para mim é, e é isso que eu quero transmitir através de minhas pinturas”.

Sonya define sua relação com Nova York como uma relação que começou há 25 anos. Sonya nasceu e foi criada na Filadélfia, mas cresceu passando quase todos os finais de semana em Nova York, visitando a sua avó. Assim que ele terminou seus estudos na Escola de Design de Rhode Island, "inevitavelmente", ela se mudou para Nova York. "Eu tinha 21 anos...”

Para a pergunta: "Qual é a Nova York, que você mais ama e qual você sente como se fosse a mais sua?" Sonya me respondeu sem hesitação. "Entre a 14th Street e Canal Street. Há 15 anos eu tenho meu estúdio no Soho, e quando eu preciso de inspiração... Saio de casa e dou um passeio ao redor do bairro. Soho tem uma identidade muito forte, não como Midtown e o centro com todos aqueles arranha-céus. Eu gosto da Nova York nostálgica".

A nostalgia confessa Sonya, é pelos pequenos detalhes. "Nos últimos 25 anos tem havido muitas mudanças. Mas os pequenos detalhes que desapareceram são os que mais me fazem falta. Por exemplo, lembrar o velho semáforo “DON’T WALK”? Este é um detalhe que me faz muita falta. Há muitos anos atrás ele foi substituído pelo homem iluminado".

"O que você aconselharia os nossos leitores do Minha Viagem a Nova York, que estão fazendo planos para visitar a cidade? Onde você os aconselhariam a ir?" Perguntei para Sonya.

"Primeiro, descarte os guias. Vá para os barber shops, shoes repair, pequenos restaurantes, em vez de procurar apenas os grandes night club da cidade. Compartilhe com as pessoas locais, converse com elas, essa é a melhor maneira de você ver a verdadeira Nova York. Olhe ao seu redor, veja o que tem acima de você... Repare na arquitetura e visite os museus. Alguns são fabulosos! Fora de Nova York também existem lugares incríveis. O meu favorito é o estado de Maine, onde eu tento ir todo verão para pintar. A paisagem selvagem das rochas e as casas antigas me dão um novo fôlego."

Além de pintura, Sonya dá alguns cursos na New School University. "Eu sempre digo aos meus alunos para nunca dizer não às experiências que surgem em suas vidas, claro sem exageros. Nova York é o lugar ideal para se tornar um artista “well rounded”, um artista e também uma pessoa em sua totalidade. Eu me sinto muito feliz por ser capaz de trabalhar com o que eu amo, e conseguir tocar aqueles que veem as minhas pinturas. E não só aqueles que amam Nova York..."

 

Sonya se despede de mim com um abraço e vai em direção a Grand Central. Eu vou para o outro lado, pegar o trem 1, que passa na Times Square. Vou observando a Nova York que Sonya pinta em seus quadros, que às vezes eu não vejo por causa dos meus muitos compromissos e pensamentos.

"Obrigado a Sonya, por me fazer ver a verdadeira Nova York."

 

As próximas exposições de Sonya:

Galerie Next, Toulouse (França), Novembro de 2016

Galerie Anagama, Versailles (França), Setembro de 2017

Air France First Class Lounge no aeroporto JFK (Nova York). Atualmente esta no aeroporto até Outubro de 2016.

 

Página web: http://www.sonyasklaroff.com

 

 

 


Dez lugares incomuns que eu amo em Nova York June 15 2016

 

  • Red Hook (Brooklyn)

Não só porque aqui viveu o grande escritor Lovecraft (e nasceu Al Capone), mas também pela vista fantástica que o lugar oferece. Daqui você pode olhar diretamente nos olhos da Estátua da Liberdade, observando toda a baía de Nova York.

  • Sylvia’s (Harlem)

O restaurante de cultura Sul Africana, Soul Kitchen, é visitado especialmente durante o almoço de semana, quando podemos ver a “vida real” daqueles que vem até aqui, a classe média afro americana. Experimente o frango frito.

    • Flushing Meadows Park (Queens)

    O parque é um dos maiores de Nova York, e nele esta localizada a enorme Unisphere, que representa o globo terrestre. O local é perfeito para um churrasco no fim de semana. No verão a fonte é aberta, e o espetáculo é incrível.

    • Cobble Hill (Brooklyn)

    Eu amo o brownstones, ruas arborizadas e longe da agitação de Manhattan. Bairro histórico do século XIX, onde nasceu a mãe de Winston Churchill.

    • Bushwick (Brooklyn)

    Os grafites da cidade, a juventude, os artistas, os itálos-americanos e as fábricas abandonadas. Isso é vida!

    • Socrate’s Park (Queens)

    Um parque com várias esculturas contemporâneas, você vai entrar em um mundo surreal. Ele está localizado em Astoria, no Queens.

     

    • Staten Island Boat Graveyard (Staten Island)

    Um lugar diferente, secreto, com vários navios abandonados no mar. Parece que aqui, estamos dentro de um mundo totalmente apocalíptico. 

    • Roosevelt Island Hospital (Roosevelt Island)

    Essas são as únicas "ruínas" remanescentes de Nova York. Um lugar "assombrado" pelos fantasmas do século XIX, aqui eram tratados os pacientes com varíola.

    • Brooklyn Vinegar Hill (Brooklyn)

    Um lugar fantástico, com uma vista espetacular de Manhattan. Com uma mistura de casas do século XIX, e grandes avenidas.

    • Green Wood Cemetery (Brooklyn)

    Em Nova York os cemitérios são parques! E esse do Brooklyn é incrível. Cinematográfico, com uma vista fantástica!