Notizie, curiosita',aneddoti, e fantasie su New York – tagged "passeios em NY" – Minha Viagem a Nova York Google+

Autenticamente Nova York

Arranha-Céus Imperdíveis de Nova York February 23 2019

Fechando os olhos e pensando em Nova York, entre as muitas imagens que vêm à mente da Big Apple, está o grande horizonte de Manhattan! Um animado enxame de luzes e arranha-céus que dá charme e magia a esta cidade. O que é difícil imaginar é que em Nova York há mais de 5.800 arranha-céus...

Vamos descobrir juntos os mais interessantes e os mais altos da cidade!

ONE WORLD TRADE CENTER

Também conhecido como Freedom Tower, o One World Trade Center é conhecido como o arranha-céu mais alto da cidade e o sexto do mundo! Sua altura de 1776 pés é uma recordação do ano da Declaração de Independência dos Estados Unidos.

É o edifício principal do New World Trade Center, o complexo localizado onde, até setembro de 2001, ficavam as Torres Gêmeas.

Imperdível: o ponto de observação, o One World Observatory, no 102º andar do edifício, oferece uma visão de 360 ​​graus da Big Apple. A vista vai deixar você sem fôlego e a sensação será de estar em um helicóptero com um ponto de vista único da metrópole. Você pode reservar ingressos aqui para acessar o Observatório selecionando a data e a hora desejadas (preços: 37 $ para adultos - 31 $ para crianças). A reserva economizará um tempo precioso pulando a linha no checkout!

EMPIRE STATE BUILDING

Este arranha-céu, em estilo Art Deco, é um dos símbolos de Nova York no imaginário coletivo graças à sua ampla presença em muitos filmes e séries de televisão. Com seus 443 metros de altura, é o segundo maior arranha-céu de Nova York e foi inaugurado em 1931, após 14 meses do início das obras!

Uma curiosidade: a iluminação externa do edifício muda e se adapta aos eventos e/ou ocorrências do momento. Por exemplo, no Dia de Colombo (a ocasião para celebrar a chegada de Cristóvão Colombo no Novo Mundo), o arranha-céu se ilumina em verde, branco e vermelho. Enquanto, durante todo o período de Natal (8 de dezembro - 7 de janeiro), as cores predominantes são vermelho e verde.

Imperdível: o terraço panorâmico ao ar livre localizado no 86º andar que oferece uma vista deslumbrante da cidade. É possível desfrutar do incrível panorama do observatório até as 2 horas da noite! O conselho é ir ao topo para observar o pôr do sol: você ficará sem fôlego diante da magia do momento. 

Você pode comprar o bilhete aqui para acessar o observatório (preços: $37 para adultos - $31 para crianças de 6 a 12 anos). Neste caso, a reserva economizará um tempo precioso pulando a linha do checkout! 

432 PARK AVENUE

Arranha-céus localizado no coração de Manhattan na 432 Park Avenue, perto do Central Park. Este impressionante edifício, destinado a uso residencial, tem uma altura de 426 metros e ocupa o terceiro lugar entre os mais altos da Big Apple.

Concluído em 2015, com 96 andares, ostenta o recorde do maior edifício residencial do Hemisfério Ocidental! Infelizmente, não é possível visitá-lo por dentro, mas merece, sem sombra de dúvidas, um olhar de baixo para cima!

BANK OF AMERICA TOWER

Projetado para ser o edifício mais ambientalmente correto do mundo, este arranha-céus foi concluído em 2009 e, como o próprio nome sugere, abriga os escritórios do Bank of America. Tem uma altura de 366 metros e está localizado perto do Bryant Park.

Particularidades do Bank of America Tower? Os materiais com os quais foi feito e o modo como foram usados ​​promovem economia de energia. Por exemplo, a torre tem um sistema que permite que a água da chuva seja coletada e reutilizada!

Para admirar o arranha-céu de perto, você precisa chegar à Sexta Avenida!

Não perder: o vizinho Bryant Park, um parque público no coração de Manhattan, um local de entretenimento e ponto de encontro para turistas e nova-iorquinos!

CHRYSLER BUILDING

Outro símbolo de Nova York, o Edifício Chrysler deve seu nome a W. Chrysler, fundador e famoso fabricante de carros, e faz lembra o radiador de um motor na torre! O magnata tinha a ambição de construir o edifício mais alto do mundo e o Edifício Chrysler, com seus 320 metros de altura, detinha o recorde de 11 meses até a construção do Empire State Building.

 Até 1945, o 61º andar era acessível ao público para apreciar a vista da Big Apple. Atualmente, não é possível visitar os andares superiores do edifício. A única parte do arranha-céu acessível ao público em geral é o átrio na entrada, que vale a pena uma visita para observar os incríveis interiores feitos em Art Déco.

O Chrysler Building está localizado na 405 Lexington Avenue, perto da famosa estação Grand Central Terminal, o cenário de vários filmes e séries de TV... imperdível!

Nova York é a cidade em que quase se pode quase tocar o céu! Uma verdadeira magia de tirar o fôlego, uma beleza incomparável.

Nova York oferece uma nova visão do mundo! Seus imponentes arranha-céus permitem que você veja a cidade do alto, e tenha outra perspectiva da cidade. Uma perspectiva, única que apenas um edifício dessa altura (os esplêndidos terraços panorâmicos de Nova York) podem lhe dar essa visão. Clique aqui e reserve um passeio por um terraço que irá fazer você se encantar ainda mais com as luzes da cidade!


Plano de smartphone exclusivos para turistas! 30 dólares com internet ilimitada por três semanas. March 18 2018



Pessoal, esse é o link onde vocês vão poder encontrar mais informações sobre esse plano:  https://prepaid-phones.t-mobile.com/prepaid-international-tourist-plan 

Esse é o plano ideal para todo turista que chega em Nova York. Apenas 30 dólares, e 3 semanas de internet ilimitada, com velocidade 4G LTE, ou seja, alta velocidade!

Você consegue aproveitar a velocidade máxima dessa internet até chegar ao consumo de 2GB, depois ela perderá força. Mas posso garantir que ainda sim será uma velocidade alta até para os padrões americanos.

As chamadas ilimitadas nos Estados Unidos estão incluídas no plano (mas não acho que você precisará) e mensagens de texto ilimitadas estão sempre disponíveis nos Estados Unidos.

Visite a loja da T-Mobile e garanta o seu plano!


Dicas de como Dirigir e Alugar um Carro nos EUA October 26 2017

Documentos, Sinalização e Estilo de Direção

Essa é uma dica que vale para todos: a única maneira de realmente conhecer de forma profunda os Estados Unidos da America é fazendo uma jornada por suas magníficas e emblemáticas estradas.  No entanto, um elemento fundamental é muitas vezes ignorado: como dirigir nos EUA?

Neste artigo, vamos lhe dar todo passo a passo para se dirigir nos EUA,e  assim, fazer você aproveitar ao máximo sua viagem.

Como dirigir nos EUA?

Dirigir nos EUA não é difícil, especialmente se você se manter longe das ruas mais movimentadas das grandes metrópoles. Na verdade, as autoestradas são perfeitas para um passeio descontraído e agradável. Para dirigir com segurança, você terá que ter em mente algumas regras básicas.

O código Americano de direção:

Devemos enfatizar algumas coisas importantes:

  • A ultrapassagem à direita é permitida nas ruas com pelo menos duas pistas.
  • Salvo indicação contrária, é possível girar à direita até a segurança, mesmo com o sinal vermelho.
  • É absolutamente proibido ultrapassar um ônibus escolar estacionado com as luzes piscando, pois indica a presença de crianças.
  • Nas rodovias, há uma faixa denominada "car pool lanes", indicada por um símbolo em forma de diamante para carros que transportem pelo menos duas pessoas. Tudo para incentivar o uso de um veículo para mais de um passageiro.

Limites de velocidade

Na América, os limites de velocidade são expressos em milhas (1 milha corresponde aproximadamente a 1,6 km) e muitas vezes variam de Estado para Estado. Em geral:

  • Nas cidades, o limite é de 25/35 milhas (40/55 km/h).
  • Nas rodovias, no entanto, o limite é de 55/75 milhas (105/120 km/h).

Nas estradas da estrada há uma maior tolerância aos limites de velocidade e você também pode chegar nas 5/10 milhas acima da média. Os limites, no entanto, devem ser obrigatórios em grandes centros urbanos e particularmente perto das escolas.

Dica importante! Caso seja parado por um policial, lembre-se de não sair do carro e aguardar as instruções do oficial, segurando as mãos firmemente no volante.

 

Sinais Rodoviários

Se o seu objetivo é entender de modo completo como dirigir com segurança pelos EUA é muito importante aprender a sinalização rodoviária.

  • Interstate: Rotas rodoviárias que ligam estados. São realmente fáceis de reconhecer, pois são indicados por uma letra seguida de uma sequência de números. A numeração deve ser levada em consideração como se a rota ímpar fosse de norte a sul ou vice-versa, ou se ela vai de leste a oeste ou vice-versa.
  • Highways: Exatamente o equivalente a nossas rodovias, também são indicadas através de um sinal de cor verde. As saídas são sinalizadas com uma numeração progressiva e são facilmente reconhecíveis.
  • Freeways são “estradas estaduais” que permitirão viajar para as áreas rurais de seus respectivos estados.

 

 

Left turn yield on green: quando você virar à esquerda, você deve dar prioridade a quem vem na direção oposta.

Junction: É o nosso entroncamento.

No turn on red: Não é possível virar a direita com o semáforo vermelho.

 

Estacionamento na América

Os estacionamentos são outro elemento importante. Em geral, nas áreas periféricas, não existem restrições específicas, exceto para as rotas mais movimentadas. Outra história para o centro da cidade, onde os estacionamentos geralmente são muito limitados e marcados com os seus próprios indicadores.

 As restrições de estacionamento em algumas cidades são indicadas por cores específicas na calçada adjacente:

Vermelho: proibição de estacionamento

Amarelo: reservado para veículos autorizados

Branco: parada curta para embarque e desembarque de pessoas

Verde: parada permitida dentro dos prazos marcados na região

Também é proibido estacionar a uma distância menor do que 3 metros de um hidrante, e é obrigatório estacionar sempre na mesma direção da pista.

 

Alugando um Carro

Finalmente chegamos ao último passo, alugar um carro nos EUA. O conselho que lhe dou é reservar on-line e depois buscá-lo diretamente no aeroporto. Mas você precisa ter cuidado com algumas coisas:

  • Os condutores com menos de 25 anos geralmente pagam uma tarifa mais elevada.
  • Devolver o seu carro em um local diferente de onde você pegou, terá um custo adicional. Nos estados da Califórnia e Nevada, isso só é aplicado nos meses de verão.
  • A quilometragem na maioria dos casos é ilimitada, mas, em todo caso, você deve verificar sempre para evitar surpresas desagradáveis.
  • Se você devolver o carro após o horário de funcionamento da locadora, você terá que pagar uma penalidade.
  • É possível durante o período de locação indicar um motorista adicional pagando um custo extra.
  • Verifique se a sua reserva inclui Collision Damage Waiver (CDW), também denominado Damage Waiver (LDW), que cobre qualquer dano ao seu carro ou perda do mesmo.

Agora que você já tem todas as dicas de como dirigir nos EUA, você só precisa reservar sua viagem e colocar o pé na estrada! Essa será uma experiência que você vai levar para o resto de sua vida.


Aventuras Culinárias em Nova York (Primeira Parte) July 06 2016

Por: Mariagrazia De Luca

deluca.marymary@gmail.com

A descoberta de novas experiências gastronómicas, estranhas, originais e únicas aqui na Big Apple. Esse será o meu objetivo, neste dia ensolarado de julho. Meu transporte será uma bicicleta, o que vai me permite transitar através das ruas de Manhattan, usando as várias ciclovias que os amantes de bicicleta dispõem nessa cidade. Tenho em minhas mãos uma lista de restaurantes que vou visitar e por experiência própria ela não vai ser encontrada em outro lugar, são restaurantes excêntricos, que têm características únicas e que podem ser encontrados somente aqui na cidade de Nova York. A lista é longa, e este artigo é apenas o primeiro episódio...

Queridos leitores do Minha Viagem a Nova York, por que não discutir e propor outros locais que podem ser protagonistas das minhas próximas viagens de exploração culinária?

 

Takumi Taco

Onde: Chelsea Market, 79 9th street.

Outras sedes: 601 west 26th street; 230 Park Avenue; flea markets (Smorgasburg and Brooklyn Flea).

Takumi Taco é um restaurante japonês-mexicano. É incrível pensar como duas culturas tão distantes podem ser combinadas de uma maneira tão boa para o seu paladar! É uma 'mistura' típica de culturas nova-iorquinas com resultados surpreendentes. Para começar eu provei o Sakè Sangría, feito com frutas picadas em pedaços pequenos e imersos em licor japonês em vez de vinho. Fresco, refrescante, doce sem ser enjoativo. A bebida perfeita para estes dias quentes do final de junho. Tome cuidado, sem perceber você pode acabar cantando sozinho no restaurante, é difícil perceber, mas o teor alcoólico é muito alto! Na escolha de cervejas japonesas e mexicanas, não pode faltar a Negra Modelo e a Sapporo. Kampà! Salud! Cheers!

O Takumi Taco nasceu como um street-food, com quiosques de rua nos mercados de pulgas Smorgasburg e Brooklyn Flea. Essa sede fixa do Takumi Taco dá a ideia de um restaurante on-the-go, onde se compra mais pra viagem do que para comer no local. Quando recebi a sangría em uma jara de plástico perguntei "Posso tomar na rua?" pensando sobre a lei que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas fora dos restaurantes, o empregado do local fez... "Shhhhh...", e sorriu para mim, mostrando que seria meu cúmplice nessa.

O símbolo da “culinary fusion” aqui é certamente o Spicy Tuna Tacos (5,75 dólares), foi aqui que México e Japão parecem ter encontrado o casamento perfeito: Sashimi de atum com brócolis, abacate, pepino, sementes de gergelim, rabanete, maionese picante, acompanhado por "gyoza" crisp.

 

Bar Suzette

Onde: Chelsea Market, 425 west 15th street

Esta pequena creperia, que se parece com um quiosque composto por um longo bar cercado por inúmeros frascos de Nutella, está localizado a direita do Takumi Taco, o descobrimos por acaso, e eu tive que colocar em discussão todo o meu conhecimento sobre crepes. Ok, crepe com nutella, chocolate e banana, manteiga e açúcar, e também com presunto e queijo. Mas os crepes do Bar Suzette vão além da imaginação de vocês... No menu há uma grande variedade de “Savory Crepes”, em comparação com os “Sweet Crepes”.

O cozinheiro da creperia se move de forma incrível, preparando os crepes com muito cuidado pratos muito quentes como um DJ mesclando a sua música. O crepe Huevo Ranchero (US $ 12) é um prato verdadeiramente autentico: Mozarela, ovos orgânicos, abacate, feijão preto e molho picante. Eu não provei o Saigon Chicken (US $ 12), mas me pareceu excelente, um crepe com frango defumado do valle Hudson, molho Hoisin, molho de pimenta, ervas frescas, salada com legumes frescos e limão.

 

MAX BRENNER

Onde: 341 Broadway

No famoso restaurante e bar de chocolate Max Brenner eu tive a experiência de comer a pizza mais achocolatada da minha vida. Para mim pareceu um waffles cobertos com frutas e sorvete de baunilha ou um chocolate quente feito com chocolate que é produzido no próprio restaurante... A pizza de chocolate do Max Brenner é unanimidade quando se fala de chocolate na cidade de Nova York. Basta imaginar uma pizza redonda, aproximadamente do tamanho que estamos acostumados, mas um pouco mais alta coberta com raspas de chocolate branco e leite. Esta é a base, em seguida, você deve personalizar, entre as várias opções (topping): Avelã, manteiga de amendoim e marshmallows torado... Um pedaço de pizza custa (6,50 dólares) e pode ser o suficiente para acalmar até um dependente de chocolate. Se você for com um grupo de amigos, certamente é mais conveniente comprar toda a pizza (17,95 dólares).

E para beber? Nem pense duas vezes, o Chocolate Martini, que faz parte dos cocktails “Choco Classic” do Max Brenner, é o acompanhamento perfeito para a pizza de chocolate.

 

S’MAC, Sarita’s Macaroni & Cheese

Onde: 245 East 12 Street

Antes de entrar no restaurante S'MAC, eu não achei que poderia haver uma variedade tão grande de Mac&Cheese. No menu S'MAC, que é um pequeno restaurante com design espartano que foi inaugurado a uma década de anos por um jovem casal, Sarita e Caesa Ekya. Existem mais de 10 tipos de Mac&Cheese, ao lado do clássico “All-American” preparado com queijo Cheddar. Minha atenção ficou voltada para o Napoletana Mac&Chesse, explicitamente inspirado na pizza napolitana, que tem como ingredientes: mozzarella fresca, tomates assados, alho e manjericão. No site há um vídeo explicando como preparar o Napoletana Mac&Cheese em casa.

Perguntei ao funcionário qual foi a mais original, tendo em vista que cada uma dessas variantes do Mac&Cheese foi uma novidade para mim. "Certamente o cubano" e me mostra uma folha exposta no balcão com todos os ingredientes desta invenção de S'MAC. "Nós transformamos o sanduíche cubano em um Mac!" O funcionário me disse com orgulho. "Os ingredientes? queijo suíço, porco marinado em casa, presunto cozido, picles, hortelã fresca e... uma explosão de sabor!"

Se você estiver na cidade com seu pai no Dia dos Pais (Father’s Day) (19 de Junho), leve-o para o S'MAC: Para ele, o Mac&Cheese será grátis.

 

THE BLACK ANT

Onde: 60 2nd Avenue

Sento-me no restaurante The Black Ant, um dos mais renomados restaurantes de cozinha mexicana de Nova York. Gregory, um jovem mexicano-americano, barman do lugar, me conta como é feito o sal de formigas pretas black ant salt, enquanto se move habilmente entre os  shaker, e garrafas de tequila preparando cocktails elegantes e provocativos . "Prove" ele me diz me entregando uma pequena tigela "Sal de formigas prestas, obviamente é feito com sal, mas também com o açúcar de cana, açúcar regular, chili e formigas pretas tostadas!" Eu observo o sal com um pouco de receio, estico a mão e levo até a boca... Depois de alguns segundos exclamo: "Uau, que sabor!" E imediatamente pedi uma Margarita com sal de formiga preta.

Eu explico para Gregory que eu não estou com muita fome, mas queria provar algo típico. Quando eu confesso que nunca tinha comido insetos, ele sorri para mim, incrédulo. Fiquei em dúvida entre dois pratos do Black Ant, a Guacamole (abacate, tomate, coentro e sal de formiga preta) e o Croquete de Chapulín (US $ 13), preparado com grilos, mandioca, queijo manchego, alho e pimentão, optei pela segunda opção.

Qual é a diferença entre comer porco e grilos tostados? Uma amiga me disse, ironicamente, um dia em estávamos falando de comida mexicana, "Para se saciar com grilos você deve comer uma quantidade incrível, no entanto, com o porco, só é preciso comer um." Não há como negar que isso é uma questão de hábitos culturais, a ideia de comer grilos fritos eu confesso que me aterrorizava!

A apresentação do prato estava impecável. Quatro croquetes de grilo em forma esférica perfeita, repousando sobre a guacamole e um bom grilo tostado descansando sobre uma camada de maionese. Mario, um amigo mexicano que me levou até o The Black Ant, pediu um prato de gafanhotos fritos temperados com sal, limão e pimenta seca. "Isso me faz lembrar o meu país."

Tenho que contar aos leitores do Minha Viagem a Nova York sobre essa experiência em Nova York. Passei meu Chapulin (croquete de grilo) na maionese... Um dois e três... Comi tudo em uma mordida só! Eu acho que não mastiguei muito, mas eu senti como se tivesse comendo pipoca, com um sabor intenso e agradável que foi único no meu paladar.

Hoje, neste restaurante mexicano aqui de Nova York, posso afirmar que dei um passo à frente para quebrar minhas barreiras culinárias...


O que fazer em Nova York no dia 04 de julho July 03 2016

Por Mariagrazia De Luca

deluca.marymary@gmail.com

 

O fatídico 4th of July está chegando, e os Estados Unidos da América vai comemorar seu aniversário 240. Em 4 de julho de 1776, os 56 representantes dos estados norte-americanos, na época da colônia da Coroa britânica finalmente afirmaram sua Declaração de Independência. Esse dia é muito comemorado pelos americanos. Haverá celebrações, eventos, discursos comemorativos, um pouco de tudo. Mas principalmente, haverá fogos de artifício, um espetáculo imperdível, especialmente para aqueles leitores do Minha Viagem a Nova York, que estiverem dia 04 de julho em Nova York.

Este artigo é dedicado ao melhor "spot" para você desfrutar dos fogos de artifício, e... Os lugares que você deve evitar nesse mesmo momento.

Primeiro de tudo: Informações gerais sobre o July 4th’s Fireworks.

Horário de inicio: "After Dark", apenas quando o sol se por, aproximadamente entre 20:00 e 21:00.

Duração dos fogos:

30 minutos

Onde irá acontecer:

Barcas perto do Pier 17 e East River entre 23° e 37th Street.

 

BROOKLYN BRIDGE PARK

É um típico "spot" que os nova-iorquinos e os turistas gostam de ir para ver os fogos de artifício de 4 de Julho. O parque é lindo: E oferece uma "killing view" de Manhattan, tudo vai estar a sua frente, perto de uma obra de arte de 1920, o Jane's Carousel, cuja recente restauração deu nova vida às cores originais da obra. Não cometa o erro que eu cometi no ano passado: sentar-se entre a ponte de Brooklyn e a ponte de Manhattan. Alguns amigos e eu saímos de casa no início da tarde com a melhor das intenções: Encontrar uma localização fantástica, para esperar os fogos, nós sentamos na grama do parque e começamos um tipo de “piquenique”, e depois de horas e horas de espera, os primeiros fogos foram lançados, e com eles a nossa decepção. Os fogos aconteceram à esquerda da ponte do Brooklyn, cujo um pilar estava cobrindo totalmente a nossa vista. As centenas de pessoas que estavam com a gente, achando que teriam uma visão de “primeira fila” ficaram de boca aberta com a situação.

Em seguida, uma multidão começou a correr desesperadamente, deixando para trás itens pessoais, mas também um monte de lixo na grama, para atravessar a ponte do Brooklyn e conseguir ver os fogos. Nós não fizemos isso, acabamos vendo os fogos a partir da reflexão sobre as janelas de um grande edifício atrás de nós, tentando levar isso tudo de uma forma bem-humorada. No final, esse ponto de vista dos arranha-céus de Manhattan foi excelente, e fez nossa decepção desaparecer!

Onde: 334 Furman St, Brooklyn

 

BERRY PARK

Berry Park: O nome pode enganar, pois não é um parque, mas um Beer garden &Restaurant, localizado em uma rua que lhe dá o nome, 4 Berry Street. No coração do Brooklyn, o Parque Berry é um ponto de encontro para aqueles que gostam de futebol (soccer). O lugar possui telas enormes... Eu me lembro de ter visto no Berry Park a Final da Eurocopa há alguns anos atrás, Itália vs Espanha. Eu não sou um fã de futebol, mas me inflamo quando vejo as partidas. Às vezes parecia que eu estava no Olímpico, eram muitos italianos, embora muitos fossem apenas "simpatizantes da Italy" e era difícil distinguir um do outro. Torcedores de azul estavam em maior numero que os espanhóis... A vitória foi da Espanha, mas...  Todos comemoraram iguais no Berry Park.

No terraço do Berry Park você consegue ter uma vista deslumbrante de Manhattan e dos fogos de 4 de julho. Você paga 20 dólares e pode entrar a partir de 17:00. Chegue antes do pôr do sol para se divertir com tranquilidade, enquanto você saborear um Daiquiri alla fragola ou uma Pinacolada. Os preços são bons (cerca de US $ 10) e há uma grande variedade de cervejas belgas. A única desvantagem: Ele fica muito cheio.

Onde: 4 Berry Street, Brooklyn

 

BROOKLYN HEIGHTS E BROOKLYN PROMENADE

Você não precisa esperar o 04 de julho para desfrutar de um agradável passeio no Brooklyn Heights ao pôr do sol... Construído em 1950, ao longo da autoestrada Brooklyn Queens, se tornou uma espécie de refúgio da agitação da cidade. Ao norte você consegue ver a ponte do Brooklyn com toda a sua majestade, ao sul, os edifícios antigos do bairro.

Definitivamente o romantismo do lugar sofre durante o 04 de julho, onde a caminhada se torna complicada pelo lugar estar muito cheio. "First came, first served" essa é a regra: Sendo assim, não deixem para chegar em cima da hora na Brooklyn avenida. Chegando mais cedo você pode aproveitar para fazer um passeio e admirar as construções antigas do Brooklyn Hights propriedades do século 19.

Onde: Pierrepont Pl., Brooklyn

 

SOUTH STREET SEAPORT

O "Historical Distric" of Manhattan, é um bairro um pouco "fora de seu tempo”, com um grande barco à vela, que agora é um museu, estacionado no porto. Foi aqui que a vida dos primeiros Nova-iorquinos começou os primeiros assentamentos de colonos, os primeiros arranha-céus, mercados e etc. Há muitos eventos organizados no Dia da Independência em South Street Port: shows, quiosques culinários, performances (como a de Parson School of Design). E o programa On-line do "Festival of Indipendence".

Onde: One Seaport Plaza

 

BROOKLYN GRANGE

Estamos em Williamsburg, novamente em um terraço com uma vista deslumbrante de Manhattan e dos fogos que vão completar o céu de Nova York. Um verdadeiro evento foi organizado pelo Brooklyn Grange, para comemorar o aniversário dos EUA. Um barbecue stile Southern, com uma banda que vai tocar músicas clássicas americanas... Com muita dança e rios de cerveja do Bronx.

Onde: 37-18 Northern Blvd, Long Island City

 

PARCHI MENO BATTUTI

O Grand Ferry Park (Grand Street próximo ao River street), geralmente não é um dos destinos mais procurados para ver os fogos, mas a visão não é ruim! O parque corresponde à área em que a balsa atracou transportando o burguês de Williamsburg, antes do bairro se tornar parte do Brooklyn.

Já o, East River State Park (90 Kent Ave), sempre em Williamsburg, tem uma visão ainda melhor, embora o parque não seja muito visitado por turistas. Há muita areia, grandes pedras, e muitos gansos para lhe fazer companhia.

 

In Congresso... July 4th, 1776

Portanto, nós, representantes da América no Congresso Geral... Em nome e por autoridade do bom povo destas colônias, publicamos e declaramos solenemente, que estas colônias unidas são e de direito têm de ser, Estados Livres e Independentes; Estão desobrigados de qualquer vassalagem para com a Coroa Britânica, e que todo vínculo político entre elas e o Estado da Grã-Bretanha está e deve ficar totalmente dissolvido; e que, como Estados livres e independentes, têm inteiro poder para declarar a guerra, concluir paz, contratar alianças, estabelecer comércio e praticar todos os atos e ações a que estados independentes têm direito. E em apoio desta declaração, plenos de firme confiança na proteção da Divina Providência, que mutuamente se comprometem nossas vidas, nossos produtos, e nossa sagrada honra.

[Na sequência seguem as assinatura dos representantes dos 56 Estados]


Viaje dentro da Little Italy, no bairro que está sendo engolido pela Chinatown June 25 2016

Texto e fotos de Luca Marfé

Facebook: Luca Marfé Photography - Twitter: @marfeluca - Instagram: @lucamarfe

O verdadeiro ponto de partida é: o que resta da Little Italy? E o mais importante: o que resta dos verdadeiros italianos? O bairro histórico de Nova York, na verdade, foi "devorado" pela expansão do SoHo por um lado, e o dinheiro dos novos ricos da Chinatown do outro.

Os novos ricos, em particular, adquiriram muitas propriedades locais e diversificadas, ampliando significativamente os limites do seu território à custa da "Little Italy", que perdeu bastante espaço. Basta conversar com qualquer italiano dali para descobrir alguns dos problemas com as comunidades ao redor e como os italianos estão se sentido, de alguma forma, "invadidos". Mas voltando ao ponto de partida: então o que resta? Não há muito a dizer. Na verdade, há muito pouco. No entanto, esse pouco vale a pena ser vivido. A área é um quadrado "estranho" entre Broome, Lafayette, Bowery e Canal Street. E é na Canal Street, que você deve ir, se chegar de metrô (linhas 4, 6, J e Z).  Comece o passeio e desfrutando dos sinais escritos em italiano, a “street art” espalhada por todo lugar (tem grafite e muitas outras) e os jovens que trabalham em restaurantes, entre uma piada e outra, feita em dialeto, vão tentar convencer você e entrarem em seus restaurantes. No fundo, a Little Italy é tudo isso. Esse calor italiano que por um momento, não importa a distância, vai lhe dar a ilusão de estar na Itália.

Entre meus favoritos, Gennaro. Por quê? Bem, além de ter um menu variado e ser relativamente acessível, Gennaro é simplesmente um mito. Você vai encontrá-lo na parte de fora, com os braços cheios de tatuagens e um chapéu inconfundível em sua cabeça. E sim, ele vai ser um daqueles que fará de tudo para convencê-lo a se sentar em uma mesa em seu restaurante.

Uma das paradas históricas e culturais que não podem ser perdidas é o Italian American Museum. Localizado na 155 Mulberry Street, que é a principal rua do bairro. Não é um museu como o tradicional, mas é uma espécie de armazém cheio de relíquias, que permite você mergulhar na vida passada dos italianos nesta parte do mundo. Você precisará comprar um ingresso (US $ 7), mas se você ama o passado, esse passeio realmente vale a pena. E também, é bom pensar que esse "coração" italiano pode continuar a existir, graças a essas doações.

Para fechar, temos duas "pérolas", ambas um pouco fora da rota turística central mais visitada. O primeiro é delicioso, uma verdadeira joia: é a Elizabeth Street Gallery (209 Elizabeth St.), uma galeria a céu aberto, um jardim encantado, onde as pessoas se encontram para folhear um livro, compartilharem uma paixão pela yoga ou cultivar pequenos pedaços de terra disponíveis para as pessoas que apoiam o projeto. Ele não tem muito a ver com o patrimônio cultural italiano, mas está muito perto e não pode ser desperdiçado. Emocionante.

O segundo lugar é o mais importante, especialmente se você considerar as pessoas com bom gosto. Este é o restaurante Emilio’s Ballato, que pode ser alcançado a pé em poucos minutos, ele está no número 55 E na Hudson Street. Emilio é italiano e muito orgulhoso disso. Está a aqui há muito tempo e é uma verdadeira lenda no bairro.  Não só entre os italianos. Na verdade, ele é um amigo próximo da metade de Hollywood, e por este lugar já passou todo tipo de pessoa. Dê uma olhada nessas fotos, uma pequena exposição na parede, e você irá compreender. Quando se fala de comida, qualquer palavra seria supérflua. Eu, particularmente, experimentei as massas, e eu não vejo a hora de voltar a comer lá. Entende-se que os italianos da "velha escola" não gostam muito, mas ele insiste em dizer que é o melhor de todos nos Estados Unidos.


Venha junto com a gente até Soho, entre seus restaurantes e boutiques June 24 2016

Texto e fotos de Luca Marfé

Facebook:  Luca Marfé Photography- Twitter:  @marfeluca - Instagram: @lucamarfe

SoHo: South of Houston Street. Vamos começar do começo: o bairro mais cool de Nova York. Alguns anos atrás essa área hospedava antigas fábricas e lojas, mas hoje é o templo da moda e das celebridades. Rihanna, Leonardo Di Caprio e Justin Bieber, só para citar alguns que são residentes dessa parte da cidade.

Para conhecemos os seus limites, estamos falando de uma área bem grande, ao sul da Houston Street, que se estende até a Crosby Street com 6th Avenue, respectivamente, East, West, e Canal Streetna estão a sua frente. Mas, para dizer a verdade, SoHo está continuamente se expandindo, mês após mês e de alguma forma "devorando" suas fronteiras com os bairros ao seu redor, incluindo a Little Italy.

Esse avanço não é só de lojas e das grandes marcas, mas também de galerias de arte e loft de todos os tipos. A nova fronteira do mercado residencial de luxo de Nova York passa por aqui, além dos grandes arranha-céus de Midtown.

Vá até o lendário metrô de Nova York (linha verde local, 6) e saia na Spring Street. Assim que você sair do metrô, já pode fazer a sua primeira parada: Joe & the Juice. Diversos sabores de suco, vários tipos de croissants e um café premium, porém a "jóia" do local vai para os amantes de fotografia: Uma máquina automática que você pode tirar quantas polaroides quiser, a cores ou preto e branco, deixando uma dedicatória aos amigos locais e para levar com você como uma boa lembrança impressa, como se fazia antigamente. Uma ideia grátis e muito divertida do lugar. Cheeeese!

Depois de recarregar as "baterias" vamos até a grande Spring Street. O paraíso das compras! É inútil fazer uma lista com as grandes marcas que vamos encontrar entre a Spring e a West Broadway por uma razão muito simples: Todas as marcas estão aqui! A loja da Diesel é muito bonita, é caracterizada por uma alma urbana e casual como a loja da marca Benetton. Por outro lado, as lojas da Chanel e Empório Armani são mais elegantes. Mas não vamos nos limitar a ver as marcas, porque vamos percorrer lugares incríveis, cheios de arte e estilo. Vamos ver produtos artesanais da mais alta qualidade! Olhe com atenção para a AUrate, e a “hogar” elas tem uma maneira completamente nova de se fazer joias. É um lugar lindo de ladrilhos brancos, aberto e animado. E o que dizer das galerias... Para aqueles que assim como são apaixonados por fotografia, não pode deixar de visitar a Rotella Gallery (sempre na West Broadway). Sem contar que você pode estar caminhando ao ar livre e ser surpreendido por diversos tipos de autenticas obras-primas que ficam em exibição pelas ruas: Desde as fachadas dos edifícios a diferentes tipos de vans dos anos 60. Porém, acima disso tudo, para mim esta o Studio Art Street (esquina da Spring com a Wooster Street) de Esin Kosoglu. Não deixem de prestar muita atenção nas suas fotos.

Cientistas renomados argumentam que ir as compras é a melhor maneira de queimar calorias. Para aqueles que “duvidam”, é só pensar que após comprar não podemos fazer nada, a não ser correr e trabalhar mais para recuperar o que gastamos. O grande clássico desta área talvez seja o restaurante Balthazar, um famoso e popular restaurante francês dessa região, para o qual eu recomendo que você faça reservas com bastante antecedência. No entanto, o barulho do lugar e os preços elevados o excluem dos meus favoritos.

Por outro lado, um verdadeiro motivo de orgulho é a “joia” siciliana Piccola Cucina. Ele está localizado no número 196 na Spring Street. É conduzida com paixão e a simpatia contagiante de Philip Guardione. Vocês vão o reconhecer imediatamente por causa do chapéu típico de sua terra que ele usa, e especialmente pelo toque incrível que ele dá aos seus pratos. Tudo aqui é divino! Adorei o linguine com lagosta (pena que fotos ainda não possam reproduzir as fragrâncias e os sabores!), porém o que me deixou fascinado foi o talharim com ouriços do mar. Eu nunca fui apaixonado por doces, mas quando vi o cannoli caseiro me rendi a ele, independentemente de qualquer tentativa de dieta. Ele estava incrível! Devo ressaltar toda bondade da equipe, que merece uma menção especial: O chef Benedetto Biascquino (e seu amigo, Benny) e todos os outros: Paolo, Antonio, Luigi, Alfio e Misha. Neste caso, eu recomendo fazer reservas. Se por acaso você for ao restaurante para um almoço de segunda a sexta-feira, pode começar a sorrir, pois os preços do menu de almoço são excelentes! Para o jantar e durante o fim de semana, os preços sobem um pouco, mas continuam modestos, especialmente considerando essa área. Durante o verão, tentem escolher uma mesa do lado de fora e aproveitem a paisagem das ruas de SoHo.